Minas Gerais Professores de Santa Luzia (MG) protestam contra demissão em massa de funcionários

Professores de Santa Luzia (MG) protestam contra demissão em massa de funcionários

Desligamento é feito em cumprimento a uma decisão judicial; prefeito diz que tenta prorrogar o prazo para demissões

  • Minas Gerais | Camila Cambraia e Eliane Moreira, da Record TV Minas

Cerca de 1.500 servidores foram exonerados

Cerca de 1.500 servidores foram exonerados

Reprodução/ Record TV Minas

Professores de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, protestaram nesta segunda-feira (06), em frente à prefeitura da cidade, contra a demissão de 1.500 servidores sem concurso público no município.

Foram exonerados trabalhadores da Saúde, Educação e Serviço Social. As demissões ocorrem em razão de uma decisão judicial. Em 2009, o MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) entrou com uma ação civil pública para fazer a revisão de todos os contratos temporários e de servidores admitidos sem concurso e, na última semana, a Justiça determinou o cumprimento da sentença.

Segundo os funcionários, a área da educação é a mais atingida pelas exonerações. Algumas unidades de ensino já emitiram comunicados informando que não haverá aula, pelo menos, até o final desta semana. 

Pais dos alunos prejudicados cobraram ações do poder executivo. Somente em uma escola da cidade, com mais de 700 estudantes, quase metade dos professores foi demitida. Ednalda Estevão é mãe de Miguel, de seis anos, e conta que foi pega de surpresa. "Ninguém tava esperando por isso, nem mesmo os profissionais. Eu vou ter que me virar com o Miguel, porque, na parte da manhã, aqui na minha casa não fica ninguém", relata.

O prefeito de Santa Luzia, pastor Sérgio (PSD), afirmou que pediu a prorrogação das demissões por mais 120 dias (cerca de três meses). No entanto, o pedido não foi acatado e a Prefeitura tem até a próxima quinta-feira (09) para realizar as exonerações.

Ainda conforme o chefe do executivo, as aulas nas escolas estão mantidas, com exceção da Umei (Unidade Municipal de Ensino Infantil) do bairro Liberdade. Pais e responsáveis podem levar as crianças e adolescentes às escolas e lá todos os alunos serão realocados, segundo o prefeito.

Últimas