Minas Gerais Promotor acusado de matar esposa em BH pode virar réu em agosto

Promotor acusado de matar esposa em BH pode virar réu em agosto

Órgão Especial do Tribunal de Justiça vai se reunir para avaliar a denúncia de feminicídio feita contra André Luís Garcia de Pinho

Lorenza Pinho foi morta em abril de 2021

Lorenza Pinho foi morta em abril de 2021

Reprodução / Record TV Minas

O TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) deve decidir no próximo dia 11 de agosto se vai aceitar a denúncia de feminicídio feita contra o promotor André Luís Garcia de Pinho e torná-lo réu pelo assassinato da esposa.

A análise do caso está prevista na pauta do Órgão Especial do TJ, que reúne os 13 desembargadores mais antigos e outros 12 desembargadores eleitos.

A denúncia foi feita pelo MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) no último dia 30 de abril. Os investigadores acusaram Pinho de feminicídio por motivo torpe, meio cruel e que dificulta a defesa da vítima. Os peritos apontaram que ele intoxicou e asfixiou Lorenza Maria Silva de Pinho, aos 41 anos, no apartamento de luxo onde moravam com os cinco filhos, na região Oeste de Belo Horizonte.

Na última semana, o TJ rejeitou um pedido da defesa de Pinho para que o acusado fosse julgado na primeira instância. Devido ao cargo de promotor, ele tem prerogativa de função e só pode ser julgado pelo TJMG.

Relembre o caso:

Últimas