Minas Gerais UFMG pedirá aval da Anvisa para testar vacina da covid em humanos

UFMG pedirá aval da Anvisa para testar vacina da covid em humanos

Fases 1 e 2 dos testes clínicos estão previstas para acontecer a partir de setembro e vão envolver cerca de 300 voluntários

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Pablo Nascimento, do R7

UFMG desenvolve vacina contra covid

UFMG desenvolve vacina contra covid

Reprodução/TV UFMG

O CT Vacinas (Centro de Tecnologias de Vacinas) da UFMG vai entrar até o fim deste mês com pedido de autorização na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para dar início aos testes clínicos de fases 1 e 2, em humanos, da SpiN-TEC, vacina desenvolvida pela universidade em parceria com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Os testes devem começar no fim de setembro. 

Para obter a autorização da Anvisa, a UFMG prepara uma série de documentações com dados e informações sobre os testes pré-clínicos que já foram realizados em animais. De acordo com o CTVacinas, até o momento, a vacina não gerou efeitos colaterais adversos detectáveis. O dossiê deve ser enviado até a próxima semana.

Conforme a Agência Nacional de Vigilância, o Comitê faz essa avaliação, “de forma prioritária, no prazo médio de até 72 horas após a submissão formal do protocolo, desde que tenha havido uma análise preliminar da documentação pela Anvisa antes da submissão formal".

Fases 1 e 2

As fases acontecem ao mesmo tempo e têm o objetivo de avaliar a segurança da vacina. Com isso, será possível saber, por exemplo, se a vacina da UFMG provoca ou não efeitos adversos e se ela induz a produção de anticorpos contra a covid-19. 

De acordo com o CT Vacinas, a fase 1 conta com a participação de 40 voluntários. Já a fase 2 terá entre 150 e 300 voluntários.

A previsão é que a fase 3 terá início no primeiro semestre de 2022, dependendo da disponibilização de recursos.

Doações

A Prefeitura de Belo Horizonte oficializou a doação de um terreno para que a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) possa expandir as atividades do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Vacinas. O lote fica no bairro Jardim Montanhês, na Noroeste da capital mineira, e a doação consta em decreto publicado no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (22).

Em maio, a prefeitura começou a repassar os R$ 30 milhões prometidos para que a UFMG possa financiar as fases 1 e 2 do imunizante. O montante, dividido em seis parcelas, deve estar disponível nos cofres da universidade até o fim do ano.

Últimas