Minas Gerais Vereador de BH tem aliados em comissão que analisa sua cassação

Vereador de BH tem aliados em comissão que analisa sua cassação

Presidente e relator do colegiado que vai apresentar relatório sobre denúncias contra Wellington Magalhães (DC) se abstiveram no 1º pedido de cassação

Câmara vai votar segundo pedido de cassação contra Wellington em um ano

Câmara vai votar segundo pedido de cassação contra Wellington em um ano

Reprodução / Google - Street Viwe

O presidente e o relator da comissão processante criada pela Câmara de Belo Horizonte para investigar o vereador Wellington Magalhães (DC), denunciado por quebra de decoro parlamentar, são aliados do investigado. 

Preto (DEM), escolhido para presidir o colegiado, e Elvis Côrtes (PHS), que será o responsável por elaborar o relatório que será votado em plenário, ajudaram a salvar o mandato de Magalhães no ano passado, quando se abstiveram de votar no primeiro processo que pedia a cassação do vereador.

O terceiro membro da comissão, Maninho Félix (PSD), era suplente do partido à época, e, por isso, não participou da votação. 

Preto é considerado forte aliado de Magalhães

Preto é considerado forte aliado de Magalhães

Divulgação/CMBH/Heldner Costa

Wellington escapou da cassação depois que 23 vereadores votaram pela perda do mandato e 15 se abstiveram, incluindo Preto e Elvis Côrtes. Eram necessários 28 votos para que o vereador fosse destituído do cargo. 

Novo pedido

Por unanimidade, a Câmara Municipal de Belo Horizonte determinou a abertura do processo de cassação de Wellington Magalhães. Foram 39 votos a favor (incluindo o do próprio parlamentar) e nenhum contrário. 

Na saída da sessão, questionado se a comissão era formada por aliados, o parlamentar desconversou. 

Elvis Côrtes (PHS) se absteve de votar em 2018

Elvis Côrtes (PHS) se absteve de votar em 2018

Divulgação/CMBH/Bernardo Dias

— Essa questão de aliado, gente. Nesse momento... tem que ver o processo agora, abrir, ser analisado. Tem que ver as denúncias, que são as mesmas das outras e aí depois cada um vai analisar. 

Magalhães foi denunciado pelo vereador Mateus Simões (Novo), por quebra de decoro parlamentar. Simões listou cinco motivos para que o colega perdesse o mandato: 

1. Descumprimento de ordem judicial quando a Justiça autorizou condução coercitiva contra ele, que não compareceu a juízo alegando estar fora de Belo Horizonte. No entanto, as investigações mostraram que o parlamentar estava na cidade;

2. Uso da estrutura da Câmara para proveito próprio. Quando presidente da Casa, ele teria desalojado a Procuradoria para aumentar o espaço interno de seu gabinete;

3. Ameaças feitas ao vereador Gabriel Azevedo (PHS), ao advogado Mariel Marra, autor do primeiro pedido de cassação de mandato, e à ex-chefe da Polícia Civil, Andréa Vacchiano;

4. Tráfico de influência;

5. Uso de tornozeleira eletrônica, conforme decisão judicial.

Em contato com a reportagem, a assessoria de imprensa do vereador Preto (DEM), disse que ele só iria se pronunciar sobre o assunto na próxima segunda-feira (19). A assessoria de Maninho Félix (PSD) também não se manifestou. Elvis Côrtes (PHS) não foi encontrado.

Confira como votaram os vereadores no processo de cassação em 2018:

A favor:

Álvaro Damiao (DEM)
Áurea Carolina (PSOL)
Carlos Henrique (PMN)
Cida Falabella (PSOL)
Cláudio Duarte (PSL)
Dimas da Ambulânmcia (PODE)
Doorgal Andrade (PATRI)
Dr. Nilton (PROS)
Fernando Borja (AVANTE)
Fernando Luiz (PSB)
Gabriel (PHS)
Irlan Melo (PR)
Jorge Santos (PRB)
Juninho Los Hermanos (AVANTE)
Marilda Portela (PRB)
Mateus Simões (PRTB)
Oriel (AVANTE)
OSvaldo Lopes (PHS)
Pedro Bueno (PODE)
Professor Wendel Mesquita (SD)
Rafael Martins (PRTB)
Reinaldo Gomes (MDB)
Wesley Autoescola (PRP)

Abstenção:

Arnaldo Godoy (PT)
Autair Gomes (PSC)
Bim da Ambulância (PSDB)
Catatau (PHS)
Edmar Branco (AVANTE)
Elvis Côrtes (PHS)
Flávio dos Santos (PODE)
Gilson Reis (PCdoB)
Hélio da Farmácia (PHS)
Jair DI Gregório (PP)
Léo Burguês de Castro (PSL)
Nely Aquino (PRTB)
Pedrão do Depósito (PPS)
Preto (DEM)

Não votaram: 

Eduardo da Ambulância (PODE)
Henrique Braga (PSDB) - presidente da Câmara
Juliano Lopes (PTC)