Minas Gerais Zema diz que vai entregar lista de vacinados na secretaria de saúde

Zema diz que vai entregar lista de vacinados na secretaria de saúde

Governador cedeu à pressão de deputados, que ameaçaram abrir CPI para investigar denúncia de "fura-fila" na pasta

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Resumindo a Notícia

  • Zema se reúne nesta quinta-feira (11) com o secretário de Saúde
  • Governador disse que também abriu investigação sobre denúncias de "fura-fila"
  • Ao menos 500 servidores da Saúde foram convocados para se vacinarem contra a covid-19
  • Secretário Carlos Eduardo Amaral confirma vacinação, mas nega irregularidades
Governador cedeu à pressão de deputados e diz que vai enviar lista dos vacinados

Governador cedeu à pressão de deputados e diz que vai enviar lista dos vacinados

Divulgação / Pedro Gontijo / Agência Minas

Após o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Agostinho Patrus (PV) ameaçar o Governo de Minas com a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias de "fura-fila" na secretaria de Estado de Saúde, o governador Romeu Zema (Novo) foi às redes sociais para dizer que iria enviar a lista com os nomes dos servidores vacinados para o Legislativo. 

"Determinei o envio imediato à Assembleia Legislativa a lista de todos os servidores da Secretaria de Saúde que foram vacinados", escreveu Zema em uma postagem no Twitter.

O governador afirmou, ainda, que determinou a apuração dos fatos desde que as denúncias de "fura-fila" foram reveladas pelo R7

O governador se reúne com o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, na manhã desta quinta-feira (11), na Cidade Administrativa, sede do governo estadual, em Belo Horizonte.  O Ministério Público e a Polícia Federal investigam o caso

Desgaste

O assunto provocou desgaste nesta quarta-feira (10) durante uma reunião na Assembleia de Minas, que contou com a presença do secretário de saúde, Carlos Eduardo Amaral. Questionado se enviaria a lista com os nomes dos servidores imunizados para a Casa, o chefe da pasta afirmou que "teria que ver com o Jurídico". 

A afirmação gerou críticas de deputados como o presidente da Comissão de Saúde, João Vitor Xavier (Cidadania) e o próprio presidente Agostinho Patrus, que criticou o secretário durante uma entrevista.  

Patrus chamou o episódio de "trem da alegria"

— Se necessário, iremos abrir uma investigação para que tenhamos a lista. Se o Ministério Público está investigando, a Assembleia também vai investigar. Vamos cobrar de um a um os nomes.

Últimas