Autos Carros Fiat convoca donos de Pulse, Fastback e Toro por risco de incêndio

Fiat convoca donos de Pulse, Fastback e Toro por risco de incêndio

Modelos precisam de reparos na bomba de alta pressão do sistema de injeção do motor

Resumindo a Notícia

  • Segundo a Fiat, todos os modelos envolvidos no recall foram fabricados em 2022
  • Modelos são equipados com motores 1.0 T200 e 1.3 litro T270 turbo
  • Montadora detectou que a quebra de um parafuso de fixação da bomba de alta pressão
  • Reparo da bomba de alta pressão pode demorar cerca de 2 horas
Fiat Fastback foi lançado recentemente no Brasil

Fiat Fastback foi lançado recentemente no Brasil

Marcos Camargo Jr. 22.11.2022

A Fiat convoca um recall do Pulse, da Toro e do Fastback, lançado recentemente. Os modelos, precisam fazer a substituição da bomba de alta pressão do sistema de injeção do motor turbo. Veja como agendar o reparo.

FIAT FASTBACK 2023: preço, versões, detalhes, consumo e AVALIAÇÃO COMPLETA versão Abarth. Veja o vídeo!

Segundo a Fiat, todos os modelos envolvidos no recall foram fabricados em 2022 e são equipados com motores 1.0  T200 e 1.3 litro T270 turbo. A montadora detectou que a quebra de um parafuso de fixação da bomba de alta pressão, parte importante do sistema de injeção direta, pode causar vazamento de combustível o que poderia gerar incêndio. 

Modelos são equipados com motores 1.0  T200 e 1.3 litro T270 turbo

Modelos são equipados com motores 1.0 T200 e 1.3 litro T270 turbo

Fiat/Divulgação

Os donos do Fiat Pulse, Fastback e Toro devem agendar o reparo em uma concessionária mais próxima. O reparo da bomba de alta pressão pode demorar cerca de 2 horas e a troca será feita gratuitamente.

Reparo da bomba de alta pressão pode demorar cerca de 2 horas

Reparo da bomba de alta pressão pode demorar cerca de 2 horas

Fiat Divulgação

Chassis envolvidos não sequenciais
Fiat Pulse – NYZ00420 a PYZ61495
Fiat Fastback – PYB00892 a PYB05342
Fiat Toro – NKD97699 a PKE96432

*Com a colaboração Felipe Salomão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas