Autos Carros Fim da linha: Sandero RS sairá de linha no Brasil

Fim da linha: Sandero RS sairá de linha no Brasil

Esportivo não cumpre as novas regras de emissões e ruído do Proconve PL 7

  • Autos Carros | Do R7

Resumindo a Notícia

  • O esportivo da Renault não se adequará às novas regras de emissões e ruído Proconve PL 7
  • O último lote do Sandero RS teve 130 unidades produzidas
  • De janeiro a agosto deste ano o hatch teve 200 unidades emplacadas no Brasil
Como modelo de nicho o RS acompanhou a renovação do Sandero em 2019

Como modelo de nicho o RS acompanhou a renovação do Sandero em 2019

Guilherme Magna

O ano de 2021 poderá significar o fim da produção de mais um modelo conhecido dos brasileiros. Trata-se do esportivo Sandero RS. O esportivo da Renault não se adequará às novas regras de emissões e ruído Proconve PL 7, que passam a valer no início de 2022.

Sandero RS 2020 em detalhes + ONBoard na rua e na pista

A montadora que havia paralisado sua fábrica de São José dos Pinhais (PR), em agosto deste ano por falta de insumos, retomou gradativamente a produção do modelo. Porém, as unidades do esportivo que tem preço fixado em R$ 95.780, tendem a ser as últimas a chegar às concessionárias.

Na parte traseira as lanternas tem máscaras escuras, que conferem um ar de esportividade ao veículo

Na parte traseira as lanternas tem máscaras escuras, que conferem um ar de esportividade ao veículo

Guilherme Magna

A título de curiosidade, o último lote do Sandero RS teve 130 unidades produzidas, sendo 100 para o mercado nacional e 30 que serão exportadas para a Argentina. De janeiro a agosto deste ano o hatch teve 200 unidades emplacadas no Brasil.

RENAULT KIGER DE ENTRADA! carro que pode matar Sandero e Kwid no Brasil: Mini SUV chega em 2022

Tendo em vista a baixa procura por parte do consumidor e o Proconve PL 7 que obriga a venda dos carros que não se enquadram nas regras até março de 2022, este deve ser o último lote do RS produzido pela Renault no Brasil.

Guilherme Magna

O modelo é equipado com motor 2.0 16V F4R de 150cv que já equipou Duster e Oroch. O câmbio é manual de seis marchas.

Futuro

A Renault não deve, ao menos no médio prazo, produzir aqui a nova geração do Sandero e Logan já oferecidos na Europa. Tal atitude faz parte dos planos da Renault em aumentar seu market share e tornar seus produtos mais competitivos.

A Renault não deve, ao menos no médio prazo, produzir aqui a nova geração do Sandero

A Renault não deve, ao menos no médio prazo, produzir aqui a nova geração do Sandero

Divulgação Renault

Este é mais um indício de que a marca não deverá continuar com o RS por aqui.

Em março deste ano a Renault informou que irá investir R$ 1,1 bilhão no complexo industrial Ayrton Senna, no Paraná. Com isso, marca renovará a gama atual de veículos e equipará alguns modelos com motor turbinado. Mas não significa, de novo, que Renault invista em novidades além de um motor 1.0 turbo para a dupla e, quem sabe, um facelift.

Estão nos planos desse investimento um mini-SUV usando a plataforma do Kwid

Estão nos planos desse investimento um mini-SUV usando a plataforma do Kwid

José Mário Dias

Estão nos planos desse investimento um mini-SUV usando a plataforma do Kwid, já comercializado na Índia. O novo produto deve dar impulso ao portfólio de compactos da marca que andam em baixa por aqui.

Além disso o Duster receberá motor 1.3 turbo além da Oroch que passará por mudanças.

Últimas