Christina Lemos Base do governo dobra votos da oposição para convocar Guedes

Base do governo dobra votos da oposição para convocar Guedes

Lista de votação mostra que deputados de legendas do Centrão participaram em peso da convocação. E endossam fritura do ministro da Economia

Deputados do PP, PRB e PSD engrossaram o painel a favor do requerimento de convocação de Guedes

Deputados do PP, PRB e PSD engrossaram o painel a favor do requerimento de convocação de Guedes

Reprodução

Até a oposição se surpreendeu com o placar: 310 deputados votaram a favor da convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, para prestar explicações ao plenário da Câmara, no mais rumoroso caso que já afetou o titular da Pasta em dois anos e meio no cargo. Com apenas 130 votos, a oposição viu seu movimento ser turbinado pelos votos, principalmente, de integrantes do PP, PRB e PSB, um indicativo de que Guedes já não atende aos interesses dos apoiadores de Bolsonaro e enfrenta intenso processo de fritura.

O ministro deve comparecer ao plenário na semana que vem para prestar esclarecimentos sobre a conta que mantém em paraíso fiscal, atitude considerada incompatível com o cargo, uma vez que, embora sem movimentação direta, os investimentos em dólar escalaram com a alta da moeda americana perante o real.

Veja como cada partido encaminhou os votos

Veja como cada partido encaminhou os votos

Reprodução

O requerimento, encabeçado pelo líder da oposição, Alessandro Molon (PSB/RJ), foi lido e posto em votação pelo deputado Marcelo Ramos (PP/AM), vice-presidente da Câmara, no exercício da presidência da Casa. O deputado Arthur Lira (PP/AL) está em missão em Roma para evento preparatório da conferência do clima e teria sido consultado sobre a inclusão na ordem do dia do requerimento que convoca Guedes.

Três dias depois da revelação do caso pela investigação jornalística internacional batizada de Pandora Papers, o presidente Bolsonaro não comentou o assunto nem saiu em defesa do ministro, a quem sempre tratou como “Posto Ipiranga”. Guedes já divulgou duas notas de esclarecimento em sua defesa, sem que tivesse conseguido aplacar as cobranças. “Não há crime, há ilegalidade. E o ministro precisa se explicar”, declarou ao blog o deputado Alessandro Molon, autor do requerimento, minutos depois da aprovação. “Não somos nós que queremos a cabeça do ministro”, ressaltou ao comentar o processo de fritura de Guedes.

Últimas