Christina Lemos Bolsonaro promove hoje ato por 'liberdade de expressão' com deputados

Bolsonaro promove hoje ato por 'liberdade de expressão' com deputados

Manifestação pedida pelas bancadas evangélica e da segurança pública ocorrerá no Planalto. Daniel Silveira foi chamado a comparecer 

Bolsonaro: mantendo o debate, após condenação de Daniel Silveira

Bolsonaro: mantendo o debate, após condenação de Daniel Silveira

Anderson Riedel / PR

Ao lado de deputados federais, o presidente Jair Bolsonaro (PL) participa, na tarde desta quarta-feira (27), de um ato cívico em defesa da liberdade de expressão. O encontro, marcado para as 16h, será com parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica e da Frente Parlamentar da Segurança Pública, no Palácio do Planalto. O ato será transmitido ao vivo e é aberto aos jornalistas previamente credenciados. 

Ofício que confirma a presença de Jair Bolsonaro

Ofício que confirma a presença de Jair Bolsonaro

REPRODUÇÃO

O blog teve acesso ao convite despachado pelo Gabinete Pessoal da Presidência que confirma a presença do presidente no ato (imagem ao lado). O encontro será no Salão Nobre do Palácio do Planalto e terá duração prevista de uma hora. Parlamentares que participaram da organização confirmam convite ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF, na semana passada, por ameaças às instituições democráticas.

Após indulto do presidente Bolsonaro, a defesa do parlamentar recebeu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, um prazo de 48 horas para se manifesar sobre o decreto presidencial.  

O deputado Capitão Augusto (PL-SP), líder da bancada de segurança pública e um dos organizadores do ato, declara que a manifestação vem sendo articulada desde a última quinta (21) e que não se trata de uma provocação ao STF. "Servirá para baixar a temperatura desta crise que não convém a ninguém", declarou. "Isso afeta a economia e termina por ter impacto eleitoral também." 

A expectativa é de comparecimento em peso das duas bancadas, ao 2º andar do Planalto. "Esperamos entre 60 e 100 pessoas. Daniel Silveira foi convidado, seria bom que ele fosse", diz Capitão Augusto. 

O grupo apoia a iniciativa de Bolsonaro de conceder a graça presidencial a Silveira, questionada hoje por quatro ações no STF.  "O indulto restabeleceu a Justiça. É absurdo que ele tenha sido condenado a nove anos de prisão e a pagar multa de R$ 200 mil. Nem crime tipificado tem", declara o líder da bancada da bala, que também defende a manutenção dos direitos políticos de Silveira. 

Desde a semana passada, cresce o movimento para que Bolsonaro avalie a possibilidade de usar a medida para proteger outros apoiadores com problemas na Justiça – caso de blogueiros e ativistas. "Não acho que o presidente tenha de indultar a todos, cada caso é um caso. Mas não pode haver restrição à liberdade de expressão do pessoal da direita", diz Augusto. "Que fique claro que eu não concordo com o vídeo e as declarações de Daniel Silveira", completa.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas