Christina Lemos “Ministro da morte”: portugueses receberão Queiroga com protesto

“Ministro da morte”: portugueses receberão Queiroga com protesto

Convocada manifestação contra o brasileiro na Universidade Nova de Lisboa, onde Queiroga dará aula magna

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga: convite para aula magna, no dia da votação do relatório da CPI

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga: convite para aula magna, no dia da votação do relatório da CPI

José Cruz/Agência Brasil - 20.10.2021

O ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, que decola ainda hoje para Portugal, não terá uma recepção amistosa por parte do estudantes da Universidade Nova de Lisboa, que convocam um protesto para recepcioná-lo nesta terça. Taxado pelos universitários de “ministro da morte”, o brasileiro está convidado a dar uma aula magna na faculdade de medicina da instituição e escolheu como tema "Ações do Brasil no enfrentamento da Covid-19" .

“Lamentável a postura de uma instituição de ensino, que ao evocar liberdade acadêmica promove um cúmplice da morte de mais de 600 mil brasileiros e brasileiras”, declara o comunicado que convoca para o protesto, a ser realizado amanhã, diante do portão de acesso à FMUL/Hospital Santa Maria.

Os organizadores citam ainda o fato de a visita do ministro ocorrer no mesmo dia em que o Senado brasileiro vota o relatório que acusa Queiroga de diversos crimes relativos à gestão da pandemia. Em resposta, a faculdade de medicina divulgou um comunicado em que afirma: “Vem visitar a nossa Faculdade, pelo que foi convidado, como acadêmico, a proferir uma conferência, tendo escolhido o tema que entendeu. A Universidade será sempre um espaço aberto, sem tabus ou preconceitos”.

Queiroga também manterá encontros com representantes do governo português. Até o momento, está prevista uma reunião com o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Lacerda Sales, com quem o ministro se encontrou, em Brasília, no último dia  15, para assinatura de acordos de cooperação.

Depois de Lisboa, Queiroga segue para a Inglaterra, onde também atenderá a compromissos acadêmicos nas universidades de Cambridge e Oxford.

Últimas