Christina Lemos Petróleo tem forte queda e pode levar Petrobras a baixar combustíveis

Petróleo tem forte queda e pode levar Petrobras a baixar combustíveis

Barril do petróleo tipo Brent caiu quase 10%. Política de preços da estatal obedece à paridade internacional

Combustíveis e inflação: equação afeta projeções eleitorais.

Combustíveis e inflação: equação afeta projeções eleitorais.

ERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO-17/06/2022

A expressiva queda do valor da principal matéria-prima para a fabricação de combustíveis e outros insumos, o petróleo tipo Brent, no mercado internacional – de 9,33% –, pode ter impacto importante na composição de preços dos combustíveis no Brasil. Até o momento, a instabilidade do cenário econômico, provocada sobretudo pela guerra na Ucrânia, vinha turbinando o valor do diesel e da gasolina nas bombas, em decorrência da política de paridade internacional adotada pela Petrobras.

A queda registrada nesta terça-feira (5) seria motivada, segundo analistas, pelo medo de uma piora no cenário econômico global, com risco de recessão, por causa principalmente da desaceleração da economia americana. A expectativa é de manutenção do movimento de redução do preço da commodity, que pode recuar do patamar de mais de US$ 100 para cerca de US$ 65.

A situação é observada com atenção por agentes políticos e econômicos nesta fase pré-eleitoral no Brasil, uma vez que a alta da inflação, impulsionada em boa medida pela escalada dos combustíveis, tem sido vista como fator importante na definição de voto de várias camadas da população.

A barreira para uma redução consistente dos preços dos combustíveis – obtida até o momento por meio da renúncia fiscal de entes federativos –, no entanto, é a alta do dólar. Investidores têm corrido para se proteger de oscilações bruscas comprando ativos em dólar, o que provocou a recente apreciação da moeda americana.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas