Christina Lemos Selic: Banco Central turbina dose do remédio amargo

Selic: Banco Central turbina dose do remédio amargo

Copom aumenta a taxa Selic para 7,75% ao ano, acima da expectativa do mercado, e indica rigor no combate à inflação

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central

José Cruz/Agência Brasil

Diante da expectativa de alta inflacionária, puxada pelo aumento dos combustíveis, e da iminência de afrouxamento do rigor fiscal, com despesas acima do teto de gastos, o Comitê de Política Monetária emitiu um sinal firme ao mercado, com uma elevação da Selic acima do esperado: 7,75% ao ano.

De acordo com o Boletim Focus, que monitora as expectativas de 40 instituições financeiras, o mercado projetava alta de 1,25% para a Selic. O Copom deu 1,50% – o salto mais alto em 20 anos da política monetária brasileira.

Ao turbinar a dose do remédio amargo, o Comitê dá um sinal de que não tem carta na manga nem alternativa a não ser aplicar o método convencional, apesar dos efeitos colaterais.

Últimas