Rio de Janeiro Após 10 meses no hospital, torcedor do Flamengo agredido morre no Rio

Após 10 meses no hospital, torcedor do Flamengo agredido morre no Rio

Roberto Vieira de Almeida, de 54 anos, foi espancado por apoiadores do Peñarol (do Uruguai), no dia 3 de abril, na orla da praia do Leme, zona sul

  • Rio de Janeiro | Lucas Ferreira, do R7*

Torcedor estava no Rio para jogo da Libertadores

Torcedor estava no Rio para jogo da Libertadores

Reprodução/Redes Sociais

Um torcedor do Flamengo morreu nesta quarta-feira (19) após ficar dez meses internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. A vítima foi agredida por torcedores do Peñarol, do Uruguai, no dia 3 de abril, na praia do Leme, também na zona sul.

Roberto Vieira de Almeida, de 54 anos, foi levado à unidade de saúde com graves lesões na cabeça. Segundo testemunhas, o capixaba tentava apartar uma confusão generalizada entre torcedores rubro-negros e uruguaios na orla da praia.

A briga em que Roberto foi agredido aconteceu antes da partida entre Flamengo e Peñarol pela Libertadores. Após o jogo, em Copacabana, na zona sul, mais um novo confronto entre as duas torcidas foi disperso pela Polícia Militar.

No total, 151 pessoas foram detidas nas brigas. Na época, apenas três uruguaios e um brasileiro continuaram presos. Os homens foram transferidos para os presídios do complexo de Gericinó, na zona oeste da cidade. A PM também apreendeu seis armas brancas e drogas no ônibus da torcida do Peñarol.

Helicóptero da Record TV flagra prisões após suspeita de fuga no RJ

Em nota, o Flamengo lamentou a morte de Roberto e desejou forças à família do torcedor e destacou que “repudia qualquer tipo de violência”.

Assista: Torcedores de Flamengo e Peñarol se enfrentam na zona sul do Rio

*Estagiário do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Últimas