Após decisão da Justiça, prefeito de Niterói deixa presídio no Rio

Rodrigo Neves foi preso em dezembro do ano passado a Operação Alameda, um desdobramento da Operação Lava-Jato; ele pode voltar ao cargo 

Rodrigo Neves passou três meses na prisão

Rodrigo Neves passou três meses na prisão

Reprodução / Facebook

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, ganhou liberdade no final da tarde desta quarta-feira (13), segundo a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária). Ele estava no presídio de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio, desde dezembro do ano passado. A soltura foi autorizada pelo 3º Grupo de Desembargadores das Câmaras Criminais do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro). Neves poderá reassumir o cargo.

Polícia apreende lancha de suspeito da morte de Marielle Franco

A medida beneficiou mais quatro presos na Operação Alameda: Domício Mascarenhas, ex-secretário municipal, João Carlos Félix Teixeira, presidente do TransOceânico, e João dos Anjos Silva Soares, presidente do Transnit, que responderão em liberdade. Todos foram presos durante a ação, desdobramento da Operação Lava-Jato no Rio, que apurou pagamentos de propinas no setor de transportes do município.

A decisão impôs medidas cautelares. Os acusados não poderão sair do Rio de Janeiro nem do Brasil, terão os passaportes recolhidos e não poderão manter contato entre eles nem com as testemunhas arroladas pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro). Todos estão também impedidos de deixar a cidade de Niterói por mais de oito dias sem autorização do juízo.

O R7 tenta contato com as defesas dos citados na reportagem. O espaço está aberto para manifestação. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira