Rio de Janeiro Beltrame credita aumento de balas perdidas no Rio à falta de fiscalização nas fronteiras do País 

Beltrame credita aumento de balas perdidas no Rio à falta de fiscalização nas fronteiras do País 

Secretário ressaltou que "bala perdida no Rio de Janeiro existe há muito tempo"

Beltrame credita aumento de balas perdidas no Rio à falta de fiscalização nas fronteiras do País 

Beltrame afirmou que bala perdida existe há muito tempo

Beltrame afirmou que bala perdida existe há muito tempo

Arquivo / Bruno de Lima / Agência O Dia

O secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, creditou o aumento do número de vítimas de bala perdida no Estado - foram 32 só em janeiro - à falta de fiscalização nas fronteiras do País, o que estaria facilitando a aquisição de armamento por parte das facções criminosas. Beltrame ressaltou que "bala perdida no Rio de Janeiro existe há muito tempo".

A Polícia Militar informou nesta terça-feira (3) ter apreendido 41 fuzis em janeiro, mais que o dobro do que fora recolhido no primeiro mês de 2014. Muitos deles são de fabricação estrangeira e teriam entrado no Brasil pela fronteira com o Paraguai.

— Essa rota é conhecida. O que eu falo há muito tempo é que há a necessidade de empenho do governo federal no sentido de coibir isso.

O secretário destacou que, das últimas 13 vítimas de bala perdida, três foram baleadas em confrontos entre criminosos e a polícia.

— O evento bala perdida no Rio de Janeiro não é de hoje. Comemora-se Réveillon em Copacabana dando tiro, e já tivemos episódios de pessoas feridas com isso.

Para ele, o aumento do número de casos teria relação direta com a facilidade no contrabando de armas potentes.

— Os bandidos hoje têm um apego à arma. Podem ver que querem armas bonitas, niqueladas, com adesivos inclusive de times de futebol. Existe uma ideologia de total banalização à vida e idolatria por armas, de preferência por armas de guerra.

As declarações do secretário foram dadas nesta quarta-feira (4), durante apresentação da comissão que cuidará do planejamento da segurança para os Jogos Olímpicos de 2016, que será integrado entre os três entes de governo.

32 casos de bala perdida em janeiro 

Uma adolescente de 14 anos e uma criança de 2 anos foram baleados durante um tiroteio na comunidade do Pavão-Pavãozinho, na zona sul do Rio, na noite do dia 2 de janeiro. 

Um suspeito morreu durante uma tentativa de assalto a um ônibus na avenida Brasil, na manhã do dia 14 de janeiro. Três passageiros ficaram feridos.

Cinco pessoas ficaram feridas na noite do dia 15 de janeiro na Baixada Fluminense. Uma criança e a mãe, uma mulher, um homem e um adolescente foram as vítimas. 

Larissa e Asafe morreram após serem vítimas de balas perdidas

Larissa e Asafe morreram após serem vítimas de balas perdidas

Reprodução

Larissa de Carvalho, de quatro anos, foi baleada quando saía de um restaurante com os pais em Bangu, zona oeste do Rio. Ela foi levada ao hospital, mas teve morte cerebral. A família decidiu doar os órgãos da criança.

No mesmo dia em que Larissa foi baleada, 17 de janeiro, Carlos Eduardo Rodrigues de Paula, de 33 anos, foi atingido por uma bala perdida quando ia para uma lanchonete no mesmo bairro.  

No dia seguinte, Asafe Ibraim, de nove anos, foi atingido por uma bala quando estava com a família no Sesi de Honório Gurgel, zona norte do Rio. O menino foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A família dele também decidiu doar os órgãos.

O quarto caso aconteceu no dia 20, quando uma mulher foi baleada enquanto varria o quintal de casa em Bangu. Também na zona oeste, em Santa Cruz, William Robaiana da Silva, de 35 anos foi atingido enquanto estava em um ponto de ônibus próximo à estação Cesarão do BRT. Ele foi levado para o Hospital Municipal Pedro II.

No dia 22, Lavínia Crissiullo, de três anos, foi atingida por uma bala perdida na perna durante um tiroteio na Cidade Nova, região central do Rio. A menina foi socorrida no Hospital Central da PM e foi liberada em seguida, já que os médicos optaram por não retirar o projétil.

Durante um evento de skate no Parque de Madureira, zona norte do rio, um torcedor, Edson de Jesus dos Santos, de 20 anos, foi atingido por uma bala perdida enquanto assistia ao campeonato. Ele foi medicado no Hospital Carlos Chagas e foi liberado.

No sábado (24), uma mulher foi atingida por uma bala perdida em Vaz Lobo, zona norte, durante um tiroteio no morro do Juramento. Ela foi ferida de raspão na perna e socorrida na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da região.

Também no sábado um menino de 14 anos, Caio Robert Carvalho Rodrigues, foi atingido no braço enquanto brincava do playground de um condomínio no bairro do Fonseca, em Niterói, região metropolitana do Rio. O menino é de Barbacena, em Minas Gerais, e está no Rio de férias em casa de familiares.

Já no domingo (25), outros casos foram registrados. Lilian Leal de Morais, de 13 anos, foi atingida na perna após um tiroteio em Costa Barros, zona norte, e foi encaminhada para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, em estado estável. Um menino de seis anos também foi baleado na mesma comunidade.

Na Rocinha, zona sul do Rio, Adrienne Solan do Nascimento, de 21 anos, foi encaminhada em estado grave para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, após ser baleada, mas não resistiu aos ferimentos.

Em Mesquita, na Baixada Fluminense, uma pessoa morreu e três ficaram feridas quando foram baleadas por criminosos que chegaram atirando em um bar. Segundo a polícia, o confronto pode ter relação com disputa entre traficantes e milicianos.

Na segunda-feira (26), Sandra Costa dos Santos, de 58 anos, foi atingida na cabeça por uma bala perdida dentro de casa, em Bangu, zona oeste. Segundo a PM, o projétil atravessou o telhado da casa e atingiu a vítima. Ela foi levada para o Hospital Albert Schweitzer e teve alta no fim da tarde.

O adolescente Rafael Salis foi baleado durante um tiroteio no Complexo do Alemão na noite de segunda-feira (26)Ele estava soltando pipa quando foi atingido por uma bala perdida, segundo a mãe da vítima, Elisangela Salis. 

Um motorista de ônibus foi baleado de raspão quando passava por uma tentativa de assalto na Taquara, zona oeste do Rio.

Um ciclista foi baleado durante uma troca de tiros entre policiais e bandidos no bairro de São Francisco, em Niterói, região metropolitana do Rio, na noite de quarta-feira (28). Os suspeitos teriam atirado contra PMs após o veículo em que estavam ter sido parado na saída de um túnel. 

Um oficial da marinha foi vítima de bala perdida nesta quinta-feira (29) na comunidade do Sapo, em Senador Camará, zona oeste do Rio. Ele estava no apartamento de casa quando foi atingido no tornozelo durante um tiroteio que aconteceu na operação da Polícia Militar.

Um adolescente foi atingido após uma tentativa de assalto em Campo Grande, zona oeste do Rio, durante a madrugada da sexta-feira (30). A vítima atingida por um disparo foi levada para o hospital Rocha Faria, e o estado de saúde é estável.