Rio de Janeiro Carro fuzilado: ferido em ação do Exército segue em estado grave

Carro fuzilado: ferido em ação do Exército segue em estado grave

De acordo com testemunhas, catador de recicláveis Luciano Macedo tentou ajudar a família do músico Evaldo Santos Rosa, que morreu no local

Carro fuzilado

Carro foi alvejado por mais de 80 tiros

Carro foi alvejado por mais de 80 tiros

Record TV

Baleado na ação em que militares do Exército alvejaram um carro, em Guadalupe, na zona norte do Rio de Janeiro, o catador de recicláveis, Luciano Macedo, continua internado em estado grave no Hospital Estadual Carlos Chagas, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira (15) pela Secretaria Estadual de Saúde.

De acordo com testemunhas, Luciano tentou ajudar a família do músico Evaldo Santos Rosa, que teve o carro fuzilado por mais de 80 tiros, na última segunda-feira (8), e morreu no local.

"Falaram que era bandido", diz irmã de vítima fuzilada pelo Exército

Na mesma ação, o sogro do músico, Sérgio Araújo, que estava no banco do carona, também foi atingido por disparos nas costas e nos glúteos. Ele, no entanto, está fora de perigo.

A esposa e o filho de 7 anos de Evaldo estavam no veículo, mas nada sofreram.

No último dia 10, nove militares envolvidos no caso tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça Militar. A decisão da juíza Mariana Queiroz Aquino Campos, da 1ª Auditoria Militar do Rio de Janeiro, foi tomada após uma audiência de custódia.