Rio de Janeiro Corpo de cabo eleitoral morta com 14 tiros é enterrado em Magé (RJ)

Corpo de cabo eleitoral morta com 14 tiros é enterrado em Magé (RJ)

Cerca de 12 horas antes de ser executada, Renata Castro denunciou à Polícia Federal que havia recebido ameaças de morte

O corpo da cabo eleitoral Renata Castro, assassinada com 14 tiros, foi sepultado no Cemitério de Raiz da Serra, em Magé, na Baixada Fluminense, no final da manhã deste sábado (31). 

O crime aconteceu na manhã de sexta (30) no bairro do Fragoso. Renata estava na porta de casa quando foi atacada. As câmeras de segurança no local flagraram um carro suspeito na rua e o momento em que um ocupante desceu do veículo. O automóvel foi localizado pela polícia em um local para desmanche.

Renata foi morta com 14 tiros

Renata foi morta com 14 tiros

Divulgação

Cerca de 12 horas antes de ser executada, a cabo eleitoral denunciou à Polícia Federal que havia recebido ameaças de morte. Procurada, a PF declarou que atua no caso de forma coordenada com a Justiça Eleitoral, mas que o inquérito sobre a morte de Renata é de responsabilidade da Polícia Civil.

Renata trabalhava para família Cozzolino, que já esteve à frente da Prefeitura de Magé por cerca de duas décadas. Nas redes sociais, ela criticava a atual gestão municipal

O Portal dos Procurados divulgou um cartaz no qual pede informações à população sobre os autores do crime na tentativa de colaborar com as investigações da DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense).

De acordo com a Record TV Rio, Magé já liderou o ranking de mortes no país por motivação política. O município registrou 14 mortes - entre eles vereadores, assessores, candidatos e vice-prefeita - em 15 anos.  

Últimas