Corpo de miliciano morto na Bahia passa por nova perícia no Rio

MP da Bahia fez o pedido para esclarecer se há sinais de tortura ou execução em Adriano da Nóbrega, ex-PM, suspeito de chefiar uma milícia no Rio

Corpo de miliciano morto na Bahia passa por nova perícia no Rio

Adriano foi morto na cidade de Esplanada

Adriano foi morto na cidade de Esplanada

Reprodução

O corpo do miliciano Adriano da Nóbrega passará nesta quinta-feira (20) por uma nova perícia, no IML (Instituto Médico Legal) da Leopoldina, na região central do Rio de Janeiro. O pedido foi feito pelo MPBA (Ministério Público da Bahia), já que o ex-policial militar foi morto na cidade de Esplanada, na Bahia.

Adriano será periciado para apurar se há sinais de tortura ou execução. Segundo informações da Record TV Rio, o corpo do ex-policial militar está em estado de putrefação, uma vez que o IML da Leopoldina não possui uma câmara de congelamento.

O próprio instituto enviou à Justiça um ofício informando as más condições de conservação na câmara de refrigeração do local. Após a perícia, o corpo deve ser devolvido à família, a qual entrou com um pedido para cremar Adriano no último dia 12.

A Polícia Civil deve tentar identificar a distância dos disparos e as perfurações de entrada e saída, que podem ajudar a saber se Adriano foi morto de costas e se existe a possibilidade dele ter se rendido.

No Rio, cerca de 1,5 mil foram vítimas de importunação sexual

Histórico de Adriano

O ex-capitão do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) é apontado como chefe de um grupo miliciano batizado de Escritório do Crime. A quadrilha atuaria na zona oeste da cidade e seria especializada em assassinatos por encomenda.

Um dos crimes do grupo teria sido a execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018. O crime, que vai completar dois anos, ainda procura o mandante. Apenas os executores, que possuem ligações com a Polícia Militar, e cumplices foram presos.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa