Rio de Janeiro Defensoria se reúne com famílias de três mortos no Jacarezinho

Defensoria se reúne com famílias de três mortos no Jacarezinho

Além de oferecer assistência, grupo colheu relato de parentes de vítimas. Teor dos depoimentos não foi divulgado

Familiares de três mortos na operação do Jacarezinho, zona norte do Rio, se reuniram com representantes da Defensoria Pública do Estado do Rio, nesta segunda-feira (10), a portas fechadas. Além de oferecer assistência, o grupo colheu relatos dos parentes das vítimas da ação mais letal do Rio, com 28 mortos, ocorrida na quinta (6).

Operação no Jacarezinho deixou 28 mortos

Operação no Jacarezinho deixou 28 mortos

VANESSA ATALIBA/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/10.05.2021

Segundo a Defensoria Pública, depoimentos nem as próximas ações serão divulgados por uma decisão estratégica, que visa assegurar a ampla defesa, o acolhimento das famílias e a segurança dos envolvidos.

O encontro foi acompanhado por integrantes das comissões de Direitos Humanos da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil) e da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio). 

Por meio de nota, a Defensoria declarou que está à disposição de todas as 28 famílias, inclusive a do policial civil André Frias, morto com um tiro na cabeça ao retirar uma barricada na comunidade.

A Polícia Civil negou ter executado pessoas durante a ação no Jacarezinho e declarou ter enfrentado resistência na comunidade ao cumprir ordens de prisão contra um grupo suspeito de aliciar menores para o tráfico.

Diversas entidades reagiram à ação e cobraram uma investigação independente. Além disso, denunciaram violação de direitos dos moradores e desrespeito por parte das autoridades às regras de restrição impostas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para operações policiais durante a pandemia. 

Últimas