Rio de Janeiro Documento usado por mulher de Renan da Penha é falso, diz perícia

Documento usado por mulher de Renan da Penha é falso, diz perícia

Inicialmente, a polícia havia confirmado a autenticidade do RG apresentado por Lorenna Vieira em agência bancária, que foi acusada de racismo

Lorenna é mulher do DJ Renan da Penha

Lorenna é mulher do DJ Renan da Penha

Reprodução/Instagram

Após resultados de laudos periciais, a Polícia Civil voltou atrás e afirmou, nesta sexta-feira (31), que é falso o documento apresentado pela empresária Lorenna Vieira, mulher do DJ Renan da Penha, em uma agência bancária na zona norte do Rio de Janeiro, onde a jovem denunciou ter sido vítima de racismo.

A 22ª DP (Penha) informou que a digital encontrada na cédula não corresponde com a da jovem, de acordo com análises realizadas por ICCE (Instituto Carlos Éboli) e IIFP (Instituto de Identificação Félix Pacheco).

Além disso, o Detran-RJ confirmou que a identidade não foi emita pelo órgão e que a fotografia que consta no documento não existe nos bancos de dados oficiais.

Empresária escreveu nas redes sociais

Empresária escreveu nas redes sociais

Reprodução

Nas redes sociais, Lorenna questionou a nova versão apresentada pela polícia. A empresária destacou que foi liberada pelos agentes após ter o documento verificado na mesma delegacia, no dia anterior.

Com a reviravolta, a polícia continua investigando o crime de racismo na agência bancária e também se houve uso de documento falso por parte de Lorenna.

O delegado responsável pelo caso, Fabrício Oliveira, informou que vai chamar testemunhas para prestarem novos depoimentos e que ainda aguarda o resultado de outras pesquisas e perícias.

O caso

A empresária Lorenna Vieira denunciou ter sido  vítima de racismo em uma agência do banco Itaú na Penha, zona norte do Rio, na quinta-feira (30)

Segundo ela, durante o atendimento, a gerente disse que não era ela na identidade e que o dinheiro que estava entrando na conta não era normal, e isso poderia caracterizar fraude. 

Já na delegacia, Lorenna diz que os policiais que a levaram não fizeram perguntas sobre o que aconteceu no banco, mas questionaram sobre seu relacionamento com o DJ.

Após a repercussão do caso, a Polícia Civil confirmou a autenticidade do documento. Já o banco Itaú pediu desculpas pelos transtornos e afirmou que a empresária foi submetida ao procedimento adotado em casos de suspeita de fraude, sem qualquer relação com questões de raça ou gênero.

Últimas