Rio de Janeiro Em 30 dias, vereador Gabriel Monteiro ganhou mais de 200 mil seguidores em rede social

Em 30 dias, vereador Gabriel Monteiro ganhou mais de 200 mil seguidores em rede social

Político é denunciado por filmar sexo com adolescente de 15 anos, no Rio; dia da operação policial rendeu 3.500 novos seguidores 

Gabriel Monteiro ganhou 206 mil seguidores no Instagram em 30 dias

Gabriel Monteiro ganhou 206 mil seguidores no Instagram em 30 dias

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO - 09/04/2022

O vereador Gabriel Monteiro (PL), denunciado por filmar sexo com uma adolescente de 15 anos, ganhou mais de 206 mil seguidores no Instagram em 30 dias (12 de março a 12 de abril), de acordo com a ferramenta Social Blade, que monitora o desempenho de redes sociais com perfis públicos. Nesta quarta-feira (13), o parlamentar acumula 4,6 milhões de seguidores.

Segundo o levantamento, só no dia 31 de março o ex-policial militar chegou a ganhar mais de dez mil seguidores. Uma semana depois, a Polícia Civil realizava uma operação de busca e apreensão em 12 endereços ligados a Gabriel. Naquele dia 7 de abril, o parlamentar ganhou quase 3.500 seguidores na rede social. 

Dois dias antes, no dia 5 de abril, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara abriu uma representação com possibilidade de cassação do mandato de Gabriel Monteiro por indícios de edição e direcionamento de vídeos, com exposição de crianças e pessoas em situação de vulnerabilidade (o que pode configurar a quebra de decoro parlamentar). Nessa data, o também youtuber perdeu pouco mais de 2.000 seguidores. 

Nesta terça (12), a Câmara dos Vereadores aprovou, em primeira discussão, o projeto de emenda à Lei Orgânica 8/2022, que veda a monetização de conteúdos criados por vereadores que tenham como objetivo o exercício da função pública ou a utilização de recursos públicos para a sua produção.

Gabriel Monteiro foi denunciado por assédio moral e sexual contra assessores e ex-funcionários, além de manipulação de vídeos e por infração ao ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). No entanto, ele nega ter cometido crimes e atribuiu as acusações a adversários políticos e ex-assessores, que estariam tentando "destruí-lo".

Últimas