Rio de Janeiro Em vídeo, funcionários da Cedae denunciam condições de trabalho

Em vídeo, funcionários da Cedae denunciam condições de trabalho

Trabalhadores afirmaram que colega passou mal durante a aplicação de carvão ativado na Estação de Tratamento do Guandu

Funcionário aparece caído no chão em vídeo

Funcionário aparece caído no chão em vídeo

Record TV

Funcionários da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgoto) divulgaram um vídeo para denunciar as condições de trabalho durante a aplicação de carvão ativado na Estação de Tratamento do Guandu nesta segunda-feira (27).

Nas imagens, um trabalhador, que usa uniforme da empresa, aparece caído no chão após supostamente manusear o produto sem equipamento adequado.

Em nota, a Cedae descartou a relação entre os fatos e afirmou que o trabalhador, que não teve nome nem estado de saúde divulgados, já não estava se sentindo bem mesmo antes do expediente. Porém, ele não teria comunicado o problema à empresa.

A companhia disse ainda ter dado suporte ao funcionário que passou mal por realizar uma atividade que exige esforço.

No texto, a empresa ressaltou que “os envolvidos neste trabalho estão utilizando o equipamento de proteção individual - recomendado pela empresa que presta o serviço”.

O carvão ativado começou a ser aplicado na Estação de Tratamento do Guandu, na semana passada, após uma crise se instalar na empresa devido à qualidade da água fornecida.

Desde o início do ano, consumidores da Região Metropolitana e da Baixada Fluminense relataram que a água que chega às torneiras apresenta cor e cheiro.

Apesar de a Cedae admitir ter encontrado a substância geosmina em amostras, a companhia nega que as alterações na água ofereçam riscos à saúde.

Além dos problemas atuais, a Cedae também foi denunciada, nesta segunda (27), pela Justiça Federal no Rio de Janeiro, em uma ação de 2015, por cinco crimes de poluição, entre eles o lançamento de esgoto não devidamente tratado na Baía de Guanabara.

Últimas