Ex-secretário de Saúde opta pelo silêncio em depoimento à Alerj

Em reunião das comissões de Saúde e Fiscalização dos Gastos do Estado Contra a Covid-19, Edmar Santos disse que seguirá recomendação da defesa

Edmar Santos saiu do governo no dia 28 de maio

Edmar Santos saiu do governo no dia 28 de maio

Reprodução/TV Alerj

O ex-secretário de saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos declarou nesta segunda-feira (6) que não iria responder as perguntas feitas pelos deputados da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) durante depoimento às comissões de Saúde e Fiscalização dos Gastos do Estado Contra a Covid-19. Segundo Santos, recomendação foi feita pelos advogados de defesa.

Em sua primeira fala, o ex-secretário declarou que não teve acesso ao inquérito pelo qual foi convidado a prestar depoimento aos deputados estaduais do RJ.

"Dessa forma, fui expressamente orientado pelos meus advogados, por ora, eu utilizo o direito de silêncio às perguntas que eventualmente sejam direcionadas a mim por vossas excelências", pontuou Edmar Santos.

Por sua vez, a presidente da comissão, Martha Rocha, continuou a questionar o ex-secretário de Saúde, que durante todo depoimento repetiu "reitero meu poscionamento anterior".

Entre as perguntas feitas por Rocha e por outros deputados estaduais, estão as ligações de Santos com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, além do grau de conhecimento da incapacidade da Iabas (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde) em construir e administrar os hospitais de campanha do Estado.

Ao término da audiência, Rocha declarou insatisfação pela conduta de Santos e afirmou que o ex-secretário não deve respeito à Alerj, mas sim às vítimas e familiares de infectados e mortos por causa do novo coronavírus.

"Doutor Edmar, você repetiu muitas vezes 'em respeito a esse parlamento', mas o respeito que é devido é aos 121.474 pessoas contaminadas pela covid-19 e aos familiares das 10.667 pessoas que perderam sua vida para a covid-19. [...] Lamentavelmente vai pairar sobre a sua biografia sempre essa anotação de como foi a atuação da secretária diante o combate ao covid-19."

Comissão da Saúde

Os deputados da Alerj instalaram no dia 2 de junho uma comissão para investigar os gastos relacionados ao combate do novo coronavírus. Entre as ações dos parlamentares, está a análise de contratos firmados pelo Governo do Estado de forma emergencial durante este período.

Além de Edmar Santos, o também ex-secretário de Saúde do RJ, Fernando Ferry, também foi ouvido pela comissão. Segundo Ferry, a saída da pasta se deu pela falta de independência e transparência na pasta.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa