Rio de Janeiro Exame descarta problemas mentais em agressor de paisagista

Exame descarta problemas mentais em agressor de paisagista

Suspeito passou por avaliação em hospital penal psiquiátrico por determinação da Justiça; ele será transferido para uma unidade  comum

  • Rio de Janeiro | Matheus Nascimento, do R7*

Vinicius alegou surto após crime

Vinicius alegou surto após crime

Reprodução/Instagram

Exames descartaram que Vinícius Serra, de 27 anos, preso preventivamente por tentativa de feminicídio contra a paisagista Elaine Caparróz, tenha problemas psiquiátricos. O agressor passou por avaliação no Hospital Penal Psiquiátrico Roberto Medeiros por determinação da Justiça. Ele será transferido para uma unidade prisional comum nesta quarta-feira (27), segundo informações da Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro).

Pais de agressor de paisagista não comparecem a depoimento

Acusado de agredir a paisagista, Vinicius alegou ter tido um surto psicótico no momento do crime, logo após ser levado para delegacia.

Ao determinar a prisão preventiva, o juiz também determinou que ele passasse por uma avaliação psicológica. O agressor foi levado à unidade penal psiquiátrica na última terça (19), onde foi a submetido a exames.

O caso aconteceu no último sábado (16). A paisagista Elaine Caparróz, de 55 anos, recebeu Vinicius, que é lutador de jiu-jitsu, em sua residência na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, após trocar mensagens com o rapaz pela internet por de oito meses. Durante o encontro, Elaine foi agredida pelo jovem por cerca de quatro horas e teve o rosto completamente desfigurado.

Ela foi socorrida por vizinhos, e o rapaz detido na portaria do prédio. Durante as investigações, a polícia descobriu que Vinícius se apresentou como Felipe para entrar no condomínio.

Após ficar seis dias internada, Elaine falou em entrevista que acredita ter sido dopada pelo rapaz e que conseguiu se salvar por ter conhecimento sobre defesa pessoal. A paisagista é mãe do também lutador Rayron Gracie.

O inquérito que investiga o caso foi concluído pela Polícia Civil, mas não apontou se a motivação do crime foi algum tipo de rixa ocorrida no meio das artes marciais. A Justiça do Rio aceitou a denúncia e Vinícius se tornou réu nesta terça-feira (26).

Assista ao vídeo:

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas