Rio de Janeiro RJ: Justiça aceita denúncia e lutador que espancou empresária vira réu

RJ: Justiça aceita denúncia e lutador que espancou empresária vira réu

Juiz ainda encaminhou Elaine Caparroz para projeto que oferece atendimento psicológico em razão da violência sofrida

  • Rio de Janeiro | Guilherme Padin, do R7

Vinicius teve decretada sua prisão preventiva

Vinicius teve decretada sua prisão preventiva

Reprodução/Instagram

A Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do Ministério Público e decretou, nesta terça-feira (26), a prisão preventiva de Vinicius Batista Serra, lutador de jiu-jitsu acusado de tentativa de feminicídio contra a paisagista Elaine Perez Caparroz, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, no último dia 16 de fevereiro.

Veja também: Delegada diz que agressor arrancou pedaços de paisagista com mordidas

“Se medidas anteriores, tais como a Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio não foram suficientes para frustrar a onda de violência contra as mulheres, resta ao Judiciário, autorizado que está pela legislação vigente, abraçar interpretação invasiva, objetivando a pacificação do seio social e o bem-estar dos envolvidos nos casos concretos. Em se tratando deste caso em particular, verifico pelas detalhadas declarações da vítima sobrevivente que o denunciado não poupou esforços para impingir-lhe demorada sessão de espancamento”, afirmou o juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, titular da 3ª Vara Criminal do Rio, ao receber a denúncia.

O magistrado ainda juiz determinou o encaminhamento imediato de Elaine Caparroz para atendimento junto ao Projeto Violeta/Laranja, que tem o objetivo de viabilizar o atendimento psicológico à vítima.

Leia mais: Elaine Caparroz presta depoimento sobre agressão em delegacia

“Encaminhe-se a vítima, com urgência, ao Projeto Violeta/Laranja do TJRJ para a adoção imediata dos procedimentos necessários ao seu pronto restabelecimento físico e psíquico”, destacou o juiz.

De iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, o projeto garante proteção à mulher vítima de violência doméstica e familiar. Ele permite a celeridade na tramitação das medidas protetivas de urgência, garantindo a segurança da mulher, vítima de violência doméstica.

O caso

Elaine Caparroz conhecia o lutador de jiu-jitsu através da internet, e eles resolveram se encontrar no apartamento da empresária, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Ao se identificar com o porteiro, Vinícius afirmou que seu nome era Felipe. Na madrugada, o lutador espancou Elaine por quatro horas e deixou seu rosto desfigurado. A empresária recebeu alta médica na última sexta-feira (22).

Últimas