Rio de Janeiro Famílias acreditam que crianças de Belford Roxo possam estar vivas

Famílias acreditam que crianças de Belford Roxo possam estar vivas

Defensora pública Gislaine Kep afirma que parentes acham que buscas por possíveis corpos ainda não finaliza o caso

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*, com Record TV Rio

Famílias acreditam que meninos possam estar vivos

Famílias acreditam que meninos possam estar vivos

Reprodução/Record TV

As famílias dos três meninos desaparecidos em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, acreditam que as crianças possam estar vivas, de acordo com a defensora pública Gislaine Kep. A declaração foi feita na DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense), nesta sexta-feira (30), após novas buscas da polícia por possíveis corpos.

Os parentes de Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, de 11, e Fernando Henrique, 12, decidiram não acompanhar a ação da polícia. “As famílias estão resistentes em acreditar que essa seja a finalização do caso”, disse Kep em entrevista ao Balanço Geral RJ.

Durante as buscas em um rio da região, a polícia encontrou ossadas que vão passar por exame de DNA. Para a defensora, o resultado da perícia que será realizada pode gerar a necessidade de novas buscas no curso de água.

A ação da polícia foi motivada pela denúncia de um homem que acusou o irmão de ter participado da ocultação dos corpos dos meninos que, segundo ele, teriam sido assassinados por ordem de um traficante de Belford Roxo.

À polícia, o irmão da testemunha relatou ter recebido três sacos com a ordem de despejá-los no rio, mas afirmou que não sabia o conteúdo que havia dentro deles.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas