Rio de Janeiro Greve continua após garis rejeitarem proposta no Rio 

Greve continua após garis rejeitarem proposta no Rio 

Decisão foi tomada em assembleia depois de audiência de conciliação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho)

  • Rio de Janeiro | Inácio Loyola, do R7*

Garis estão em greve no Rio há quatro dias

Garis estão em greve no Rio há quatro dias

Tânia Rego/Agência Brasil

Os garis do Rio de Janeiro decidiram manter a greve após uma assembleia realizada nesta quinta-feira (31) no Clube Aliados, em Campo Grande, na zona oeste do Rio. A paralisação já entrou no quarto dia. 

A categoria rejeitou a proposta elaborada em audiência de conciliação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), nesta quarta-feira (30).

O acordo previa um reajuste salarial de 6% em março, 2% em agosto e cerca de 2% em novembro, além de adicional de insalubridade para APAs em 20% retroativo a janeiro 2022; reajuste de 3% no tíquete alimentação; compensação dos 3 dias de greve, sem qualquer desconto; entre outros. 

A Diretoria do Sindicato e os Delegados Sindicais informaram que está programada uma manifestação na Central do Brasil, às 13h, nesta sexta-feira (1°).

Greve dos Garis

O Siemaco-Rio (Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro), sindicato que representa os trabalhadores da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), anunciou o início da greve na segunda-feira (28).

Os trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho e reajuste salarial, que segundo o sindicato, não ocorre há 3 anos.

Diversos bairros da cidade do Rio estão com acúmulo de lixo nas ruas. Trabalhadores que tentaram recolher o lixo no bairro de Copacabana, na zona sul, sofreram ameaças na noite desta terça-feira (29).

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas