Ítalo é a 14ª criança vítima da violência no RJ em menos de 2 anos

Em uma semana, três menores, incluindo o menino de sete anos, morreram atingidas por balas perdidas no Estado do Rio

Mãe achou que Ítalo havia se abaixado no momento do tiroteio

Mãe achou que Ítalo havia se abaixado no momento do tiroteio

Reprodução / Record TV

O menino Ítalo Augusto, de 7 anos, morto por uma bala perdida na porta de casa em Éden, São João de Meriti, na Baixada Fluminense, é a 14ª criança vítima da violência no Estado no período de um ano e meio, segundo a ONG Rio de Paz.

Em entrevista à Record TV Rio, Jurema da Silva, tia do menino, disse que a mãe chegou a pensar que a vítima tivesse se abaixado no momento do tiroteio, mas, ao constatar que ele estava morto, ficou apavorada e desmaiou.

Uma prima contou que a criança quase não brincava na rua e ficava em casa mexendo no celular:

"A bateria [do aparelho] tinha acabado e ele foi pra rua com a mãe, porque ela havia levado uma amiga até o portão de casa", disse.

A família vive em uma casa de três cômodos com o salário da mãe Denise e o auxílio emergencial da irmã Dandara Simião, de 20 anos, que trabalha numa sorveteria perto de casa.

"Criei meu irmão desde os seis meses. Era uma criança incrível. Amava muito meu irmão", disse a irmã, que estava em casa na hora em que o menino foi morto. 

Veja também: Tiroteio deixa ao menos um morto e sete feridos em Três Rios (RJ)

O enterro da criança será nesta quinta-feira (2), no cemitério de Vila Rosali, em São João de Meriti, também na Baixada Fluminense. 

Três crianças mortas em uma semana

Ítalo Augusto é a terceira criança vítima de bala perdida em apenas uma semana no Estado.

Na última quinta-feira (25), o menino Kauan Victor foi atingido com um tiro na cabeça no Complexo da Maré, zona norte do Rio. A Polícia Civil prendeu um suspeito de ser o autor do disparo.

A menina Rayane Cardoso Lopes, de 10 anos, morreu no final de semana, vítima de uma chacina em Anchieta, na zona norte.

Assista à reportagem:

*Sob supervisão de Bruna Oliveira