Rio de Janeiro Justiça manda soltar o bicheiro Rogério de Andrade no Rio

Justiça manda soltar o bicheiro Rogério de Andrade no Rio

 STJ substituiu a prisão preventiva do contraventor por medidas cautelares, como monitoramento eletrônico

Rogério de Andrade foi preso em agosto deste ano

Rogério de Andrade foi preso em agosto deste ano

Record TV

A Justiça mandou soltar o bicheiro Rogério de Andrade, com monitoramento por tornozeleira eletrônica, nesta terça-feira (20). O contraventor está na cadeia em Bangu, no Complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio, há cerca de quatro meses. 

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) concedeu um habeas corpus a Rogério de Andrade, no último dia 16, determinando que a prisão preventiva (sem prazo) seja substituída por medidas cautelares.

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio) confirmou ter cumprido a decisão e expedido o alvará de soltura.

Rogério foi preso junto com o filho Gustavo de Andrade, em agosto deste ano, durante uma ação na residência da família em Itaipava, na região serrana, sob a acusação de continuidade de práticas criminosas, além de pagamento de propina a delegacias de polícia.

Pai e filho foram alvo da Operação Calígula e apontados pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio) como líderes de uma organização criminosa envolvida com jogos de azar no território nacional.

Sobrinho do bicheiro Castor de Andrade, que morreu em 1997, Rogério de Andrade também foi acusado de ser o mandante da morte do ex-genro de Castor, Fernando Iggnácio, em 2020. A família Andrade é envolvida em conflitos por disputa de pontos de contravenção, segundo a polícia. Rogério de Andrante escapou de uma tentativa de assassinato em 2001. Nove anos depois, o filho de 17 anos morreu em um atentado à bomba.

Em nota, o advogado André Luís Callegari disse que "a decisão do STJ que restabeleceu a liberdade de Rogério Andrade corrigiu um erro da justiça do Rio de Janeiro que havia decretado a prisão com provas extemporâneas ao processo".

Últimas