Rio de Janeiro Laudo indica tiros na cabeça de um dos mortos após abordagem da PM

Laudo indica tiros na cabeça de um dos mortos após abordagem da PM

Edson, de 20 anos, tinha perfurações acima da nuca e na mandíbula. Já Jhordan Luiz, de 17 anos, foi baleado no glúteo, na bacia e nas costas

  • Rio de Janeiro | Isabela Afonso, do R7*

Um laudo preliminar indicou que as vítimas encontradas mortas após uma abordagem de policiais militares em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, têm perfurações provocadas por arma de fogo.

Edson teve duas perfurações na cabeça e Jhordan três ferimentos no corpo

Edson teve duas perfurações na cabeça e Jhordan três ferimentos no corpo

Reprodução/Record TV Rio

Edson de Souza Arquinez Junior, de 20 anos, tinha marcas de tiro na parte de trás da cabeça e também na altura da mandíbula.

Já Jhordan Luiz Oliveira Natividade, de 17 anos, foi atingido no glúteo direito, na bacia e nas costas.

Por meio de nota, a DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) informou que aguarda o resultado do laudo oficial do IML (Instituto Médico Legal) para determinar a causa da morte dos jovens.

Leia também: "Que não fique impune", diz mãe de jovem morto após abordagem da PM

Os policiais também buscam provas, analisam as imagens registradas pelas câmeras e tomam depoimentos de familiares e testemunhas do caso.

O cabo e o soldado da PM envolvidos na ação estão presos preventivamente no BEP (Batalhão Especial Prisional) de Niterói, na Região Metropolitana do Rio. As armas deles foram apreendidas e encaminhadas para perícia. 

Caso

Os amigos Edson e Jordan Luís foram abordados por dois policiais militares em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no úlltimo sábado (12). As imagens de câmeras de segurança da região registram o momento em que um dos agentes dispara contra as vítimas, que estavam em uma motocicleta.

O vídeo mostra ainda que, mesmo caídos ao solo, os jovens são agredidos com chutes. Em seguida, os dois são colocados na viatura.

Horas depois, eles foram encontrados mortos com sinais de violência e tortura em um local que fica a 4 km de distância de onde foi feita a abordagem.

Os PMs não registraram a ação e apreensão da moto na delegacia. 

Em nota, a Polícia Militar informou que após tomar conhecimento do caso, as armas dos agentes envolvidos foram recolhidas e apresentadas à DHBF. A viatura também foi retirada de circulação e um procedimento apuratório foi instaurado pela corporação.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas