MC Atrevida: dona de clínica diz que consultório não tem irregularidades

Proprietária da “Rainha das Plásticas” disse que médico poderia realizar procedimento, apesar de conselho regional não reconhecer profissional

MC Atrevida morreu após realizar uma hidrolipo

MC Atrevida morreu após realizar uma hidrolipo

Reprodução/Record TV Rio

A proprietária da clínica Rainha das Plásticas, Wania Tavares, declarou nesta segunda-feira (3), em entrevista exclusiva à Record TV Rio, que não há nenhum tipo de irregularidade com o consultório onde Fernanda Rodrigues, a MC Atrevida, passou por procedimento cirúrgico. A funkeira morreu dias após realizar uma hidrolipo com enxerto no glúteo no local.

Wania afirmou que o responsável pelo procedimento em MC Atrevida, Wilson Ernest Garlaza Jara, tinha cursos de cirurgia plástica e estava liberado para fazer hidrolipos. Entretanto, o médico só possui registro ativo no Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) em ginecologia.

Ainda de acordo com Wania, o procedimento é considerado de baixa complexidade e, por isso, pode ser realizado na clínica, localizada em Vila Isabel, zona norte do Rio de Janeiro. A Rainha das Plásticas possui outra filial, em Nilópolis, na Baixada Fluminense.

“A gente tá maltratada, angustiada. Abalada com a situação. As pessoas se aproveitam para falar mentiras, ameaças. [...] Já fui à delegacia, colaborei, levei todos os documentos da clínica”, desabafa Wania.

“Eu tenho consciência de que está tudo certinho na clínica”, concluiu Wania. A proprietária do consultório também destacou que ofereceu assistência à MC Atrevida e afirmou que se disponibilizou a pagar consultas particulares para ela.

A clínica foi interdita pela Polícia Civil e, nesta segunda-feira (3), o médico responsável pelo procedimento será ouvido pelo delgado da 20ª DP (Vila Isabel).

*Estagiário do R7, sob supervisão de Patrícia Junqueira