MC Atrevida: médico apresenta confusão mental em depoimento

Wilson Ernest Garlaza Jara chegou à delegacia em cadeira de rodas após ter sofrido AVC. Funkeira morreu dias depois de fazer procedimento estético

Médico foi prestar depoimento em cadeira de rodas

Médico foi prestar depoimento em cadeira de rodas

Reprodução/Record TV Rio

O médico equatoriano Wilson Ernest Garlaza Jara, responsável pelo procedimento estético da cantora Fernanda Rodrigues, mais conhecida como MC Atrevida, prestou depoimento sobre a morte da funkeira durante uma hora na 20ª DP (Vila Isabel), zona norte do Rio, nesta segunda-feira (3).

Ele chegou em uma cadeira de rodas e deixou o local sem conversar com a imprensa.

Segundo o delegado do caso, o médico oscilou entre momentos de lucidez e confusão mental. Recentemente, ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral).  

Ainda de acordo com a polícia, Wilson declarou já ter realizado mais de 4.600 cirurgias e que nunca teve problema, além de ter afirmado que "se a MC morreu é porque tinha que morrer".

A funkeira morreu após fazer um procedimento, no último dia 16, para retirar gordura das costas e injetar nos glúteos.

A dona da clínica, Wania Tavares, afirmou em entrevista exclusiva à Record TV Rio que o médico tinha cursos de cirurgia plástica e estava apto a realizar hidrolipos.

Porém, Wilson Ernest possui registro efetivo como ginecologista no Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro).