Rio de Janeiro 'Me perdoa, sou inocente', diz Flordelis durante depoimento do desembargador Siro Darlan

'Me perdoa, sou inocente', diz Flordelis durante depoimento do desembargador Siro Darlan

O ex-juiz da Vara da Infância e da Juventude foi convocado como testemunha de defesa no julgamento do caso do pastor Anderson

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Fernanda Macedo e Pedro Paulo Filho, da Record TV

Flordelis chorou, alegou inocência e pediu perdão durante depoimento de testemunha

Flordelis chorou, alegou inocência e pediu perdão durante depoimento de testemunha

Brunno Dantas/TJ-RJ/ 07.11.2022

Acusada de ser a mandante da morte do ex-marido — o pastor Anderson do Carmo —, Flordelis deixou o banco dos réus nesta quinta-feira (10) durante o depoimento do desembargador Siro Darlan e, aos prantos, alegou inocência e pediu perdão.

O desembargador foi convocado como testemunha de defesa no quarto dia de julgamento de Flordelis e de outros quatro réus acusados do crime. Ele foi juiz da Vara da Infância e da Juventude e acompanhou a trajetória de Flordelis e dos mais de 50 filhos dela, a maioria afetivos.

De acordo com informações da Record TV, inicialmente, Darlan atuou como fiscalizador e, depois, se aproximou da família. No depoimento, o magistrado relatou ter tido contato com o pastor três dias antes do crime.

Enquanto Siro Darlan falava sobre como conheceu a história de Flordelis, ela se levantou e disse: "Me perdoa. Sou inocente". A ré chorou e saiu amparada da sala de audiência.

Flordelis, três filhos e uma neta estão no banco dos réus

De acordo com informações do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), Flordelis responde por homicídio triplamente qualificado — motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Já Marzy Teixeira da Silva, Simone dos Santos Rodrigues e André Luiz de Oliveira são acusados de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada.

E Rayane dos Santos Oliveira foi denunciada por homicídio triplamente qualificado e associação criminosa armada.

Últimas