Rio de Janeiro MP denuncia suspeito preso após tiroteio que baleou menina Alice na zona oeste do Rio

MP denuncia suspeito preso após tiroteio que baleou menina Alice na zona oeste do Rio

Ele é investigado por ligação com a milícia e acusado de extorquir dinheiro de comerciantes, com a ajuda de um comparsa

Reprodução/Record TV Rio

O MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) denunciou, nesta segunda-feira (20), um suspeito que foi preso após o tiroteio que baleou a menina Alice Silva da Rocha, de 4 anos, em Curicica, na zona oeste do Rio, no dia 1º de junho. 

Conhecido como "Neguinho do Gás", o homem é acusado de extorquir dinheiro de comerciantes na região com a ajuda de um comparsa, e de trocar tiros com policiais civis no dia do crime. 

Ele é investigado por envolvimento com a milícia que atua na comunidade conhecida como Dois Irmãos, de acordo com o MP, e vai responder pelos crimes de extorsão, porte de arma ilegal, receptação e resistência.

Segundo a denúncia do MP, "Neguinho do Gás" e um criminoso ainda não identificado abordaram quatro comerciantes antes de serem interceptados por agentes da Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais).

A cobrança seria referente a uma "taxa de segurança", que deveria ser paga semanalmente, para que as vítimas tivessem seus estabelecimentos supostamente protegidos de ataques por parte da milícia local.

O denunciado foi preso após perder o controle do veículo que dirigia durante o tiroteio. Já o comparsa conseguiu fugir do cerco. Com "Neguinho do Gás" foi encontrada uma arma com numeração raspada, segundo a investigação. A polícia também concluiu que o carro usado pela dupla era roubado e teve a placa modificada. 

Criança continua internada

A menina Alice voltava da escola, acompanhada da mãe, quando o tiroteio começou. Ela foi atingida por uma bala perdida na cabeça e socorrida em estado grave. 

Segundo familiares, a equipe médica não conseguiu remover a bala da cabeça da vítima. Há cerca de duas semanas, ela apresentou melhoras e mexeu um braço, de acordo com uma prima.

A criança continua internada no Hospital Miguel Couto, na Gávea, zona sul do Rio, com quadro de saúde estável, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. 

A Polícia Civil investiga de onde partiu o tiro que feriu Alice. Os agentes envolvidos na ação disseram que apenas um deles atirou e que ele mirou nos pneus do carro onde estavam os suspeitos. 

Últimas