Rio de Janeiro MP-RJ denuncia 18 presos em operação de combate à milícia

MP-RJ denuncia 18 presos em operação de combate à milícia

De acordo com promotor, os denunciados constituíam e integravam um grupo paramilitar com forte atuação na zona oeste da cidade

Suspeitos foram presos durante festa em um sítio de Santa Cruz

Suspeitos foram presos durante festa em um sítio de Santa Cruz

Reprodução

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) denunciou, nesta segunda-feira (21), 18 dos 159 presos em uma operação policial de combate à milícia na zona oeste do Rio. O grupo foi preso no dia 7 de abril durante um show de pagode que, segundo a Polícia Civil, foi organizado pela milícia que atua em Santa Cruz.

Na denúncia, o promotor Luiz Antonio Corrêa Ayres afirma que os acusados, desde 2015, "constituíram e integraram pessoalmente, de forma estável e permanente, em coautoria ou participação" um grupo paramilitar com forte atuação na zona oeste da cidade. 

O grupo será denunciado por organização criminosa e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. De acordo com o MP-RJ, os denunciados exerciam funções como armeiro, segurança e "matador". 

Prisões revogada

Ao todo, 148 suspeitos  ganharam liberdade por decisão da Justiça do Rio. No último dia 17, o TJRJ revogou a prisão de 10 dos 159 detidos. Outros 137 presos já haviam recebido liberdade provisória no dia 25 de abril. 

O primeiro preso a ganhar liberdade foi o artista circense Pablo Dias Bessa Martins, de 23 anos. De acordo com a decisão da Justiça, as motivações para revogar a prisão de Pablo foram que ele “é primário, não possui antecedentes criminais, tem residência fixa e é profissional circense”. Além disso, a decisão também apontou que “o fator que o diferencia de todos os outros presos é a comprovação documental de que passa a maior parte de sua vida, atualmente, fora do país”.

Prisão durante festa

Os 159 homens foram presos durante uma festa em um sítio em Santa Cruz. Durante a operação, quatro homens armados com fuzis foram mortos após troca de tiros com policiais. No local, também houve a apreensão de 24 armas, granada, 76 carregadores, 1.265 munições de calibres variados, coletes balísticos, fardamentos e toucas ninjas, além de 11 veículos.

* Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

    Access log