Rio de Janeiro Policial militar morto no RJ pode ter sido vítima de crime passional

Policial militar morto no RJ pode ter sido vítima de crime passional

Governador Wilson Witzel afirmou que a polícia já tem a identificação do suspeito de executar Miqueias Marinho Ribeiro na Baixada Fluminense

PM morto passional

Policial militar foi assassinado em Japeri

Policial militar foi assassinado em Japeri

Reprodução

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou que os investigadores já têm a identificação de envolvidos na morte do policial militar Miqueias Marinho Ribeiro, na Baixada Fluminense, nesta segunda-feira (7). Witzel disse ainda que a Polícia Civil trabalha com a hipótese de crime passional. 

"A principal linha de investigação é de crime passional, uma questão envolvendo ex-namorada, ex-mulher, mas já se tem a identificação prévia de quem foi o autor do crime e a policia está trabalhando para prendê-lo", disse o governador. 

Leia mais: Witzel garante que seu governo vencerá o crime organizado no Rio

De acordo com informações da RecordTV, Miqueias Marinho Ribeiro, de 31 anos, foi assassinado quando saía da casa dos pais, no município de Japeri. Ele chegou a ser socorrido pelo pai, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo as investigações, ao menos 20 tiros foram disparados contra o PM. Os policiais foram informados de que o último relacionamento do agente foi "bastante conturbado". Pelas características do crime, a DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) praticamente descartou que tenha ocorrido uma tentativa de roubo.

Miqueias foi o segundo policial militar morto em 2019. O soldado Daniel Henrique Mariotti foi o primeiro agente da corporação a ser assassinado neste ano. Ele tentava evitar um assalto na Linha Amarela, que liga as zonas norte e oeste, na noite de sábado (5).