Reunião para definir desconto na água termina sem acordo no Rio

Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) e Defensoria Pública voltam a discutir o assunto na próxima quarta-feira (19)

Caminhão leva equipamentos para combater crise da água no Rio

Caminhão leva equipamentos para combater crise da água no Rio

Cedae/Divulgação

A reunião entre representantes da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) e a Defensoria Pública terminou, nesta segunda-feira (17), sem acordo sobre o desconto a ser concedido na conta de água para os consumidores prejudicados pela crise hídrica que afeta o Estado do Rio. 

Especialistas criticam medidas tomadas pela Cedae para tratar água

Nas redes sociais, a Cedae afirmou que apresentará na quarta-feira (19) uma resposta à proposta apresentada pela Defensoria Pública, que segue sob sigilo.

A companhia disse estar "empenhada em superar entraves e encontrar uma solução junto aos órgãos competentes e ao governo do Estado".

Veja mais: Preso suspeito de participação em morte de PM em Duque de Caxias

Há mais de um mês, os problemas no fornecimento de água afetam moradores da Região Metropolitana e da Baixada Fluminense. Eles relataram que a água apresenta água, cor e cheiro nas torneiras.

Segundo a Cedae, a água distribuída pelo reservatório do Guandu, que atende a grande parte da população, foi alterada pela substância geosmina, produzida por algas.

Recentemente, por meio de análise laboratorial, técnicos também detectaram a presença de detergente na água.

Para combater a presença destas substâncias, a companhia passou a usar carvão ativado no processo de limpeza dos reservatórios. Porém, a empresa não de um prazo para o fornecimento de água ser normalizado. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira