Rio de Janeiro Rio: guarda municipal atira em bar e deixa três mortos e três feridos

Rio: guarda municipal atira em bar e deixa três mortos e três feridos

Uma das vítimas foi baleada enquanto conversava com policiais militares no local; autor dos disparos está internado sob custódia

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*, com Record TV Rio

Ataque deixa 3 mortos e 3 feridos

Ataque deixa 3 mortos e 3 feridos

Reprodução/Record TV Rio

Três pessoas morreram e outras três ficaram feridas depois de um ataque a um bar em Vigário Geral, zona norte do Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira (12). Segundo testemunhas, um guarda municipal de folga atirou diversas vezes contra as vítimas.

Anderson Pinto Lourenço, 47, André da Silva Ramos, 51, e Délcio Fernando Gonçalves, 55, morreram no local.

Os feridos foram encaminhados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Wilson Fraga, 58, e Lucas Ferreira de Souza, 25, permanecem internados em estado grave. Já Antonio de Souza, 62, está estável, assim como o autor dos disparos.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, equipes da região foram acionadas às 22h10. Além deles, agentes da 16º BPM (Olaria) e da Polícia Civil se encaminharam ao local. 

Em nota, a Polícia Militar disse que foi recebida a tiros quando chegou. Depois do confronto, os militares conseguiram prender o autor do ataque, que ficou ferido. Com ele, havia uma pistola. Apesar de cinco disparos atingirem a viatura, nenhum policial ficou ferido. 

A família de Anderson Lourenço contou que ele se dirigiu ao bar depois de ouvir os tiros efetuados contra as vítimas. Segundo a PM, Anderson conversava com os agentes no local, quando foi atingido fatalmente pelo mesmo homem que havia atirado contra os outros dois mortos. 

Em entrevista à Record TV Rio, um morador da região afirmou que todos os envolvidos eram amigos e que o suspeito chegou a atirar contra ele duas vezes, mas os tiros "não saíram". De acordo com o relato, os vizinhos tinham boa convivência e o atirador estava nervoso. 

A Guarda Municipal do Rio informou que abriu um processo disciplinar para apurar a conduta do agente e que a corporação vai colaborar com as investigações. O caso foi encaminhado para a delegacia de Homicídios da Capital. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas