Rio de Janeiro Rio: PMs envolvidos na morte de jovem e padrasto são afastados

Rio: PMs envolvidos na morte de jovem e padrasto são afastados

Samuel Vicente e Willian Vasconcellos foram mortos em Anchieta no último sábado (25). Família contesta versão da PM

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*, com Aline Pacheco, da Record TV Rio

Resumindo a Notícia

  • Samuel estaria em baile do Chapadão com namorada, quando ela passou mal; padrasto foi prestar ajuda
  • Camily da Silva foi atingida com três tiros de fuzil
  • Família diz que não houve troca de tiros, mas PM afirma que foi atacada por criminosos
  • PM instaurou inquérito para apurar conduta dos policiais e Polícia Civil fará perícia em armas
 

Os policiais militares envolvidos na ação que matou o jovem Samuel Vicente, de 17 anos, e o padrasto Willian Vasconcellos, de 38, foram afastados nesta terça-feira (28). Os dois foram assassinados no último sábado, em Anchieta, zona norte do Rio. Segundo a PM, a decidão é preliminar e a corregedoria de polícia abriu um inquérito para apurar o caso.

Samuel, Willian e Camily estão em uma moto indo para posto de saúde, segundo versão da família

Samuel, Willian e Camily estão em uma moto indo para posto de saúde, segundo versão da família

Reprodução/Redes sociais

Além das duas vítimas, a namorada do adolescente, Camily da Silva Polinário, de 18 anos, foi atingida com três tiros de fuzil. Nesta segunda-feira (27), a jovem teve alta hospitalar do Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. 

Os parentes negam a existência de troca de tiros entre a polícia e bandidos. Segundo eles, Samuel estaria com a namorada em um baile funk no complexo do Chapadão, quando ela passou mal. Então, o jovem teria acionado o padrasto para ajudar a socorrê-la.

Quando foram baleados, os três estariam indo a um posto de saúde de motocicleta. No entanto, a PM alega que estava em patrulhamento e que foi atacada por bandidos naquela noite. Apesar de confirmar os disparos, os agentes afirmam que as vítimas estavam armadas, com drogas e rádios transmissores. 

Já a mãe de Camily, Maria do Carmo da Silva, contou em entrevista à Record TV Rio que a filha é inocente e que Samuel e Willian eram pessoas honestas. Ela afirma que eles moravam na comunidade por necessidade e não tinham envolvimento com o crime.

"Ela [Camily] tomou tiro e eu também", afirmou Maria do Carmo. Nesta manhã, os corpos de Samuel e Willian foram sepultados no Cemitério de Olinda, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O jovem estudava em um curso preparatório para ingressar na Polícia Militar.

A Polícia Civil recolheu as armas dos agentes envolvidos para perícia. A ocorrência foi registrada na 27ª DP (Vicente de Carvalho) e encaminhada para a 31ª DP (Ricardo de Albuquerque). Segundo a polícia, as investigações estão em andamento com apoio de equipes da Delegacia de Homicídios da Capital.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas