Rio de Janeiro RJ aciona gabinete de crise após chuva afetar mais de 5 mil pessoas 

RJ aciona gabinete de crise após chuva afetar mais de 5 mil pessoas 

Municípios da Baixada e Região Metropolitana, além da zona oeste da capital, foram os mais castigados. Cerca de 800 chamados já foram atendidos 

  • Rio de Janeiro | Ludmila Gomes, do R7*

Realengo, na zona oeste da capital, foi castigado pelo temporal do fim de semana

Realengo, na zona oeste da capital, foi castigado pelo temporal do fim de semana

Record TV

Após 5.300 pessoas ficarem desabrigadas ou desalojadas no Estado do Rio, o governador Wilson Witzel instalou, nesta segunda-feira (2), um gabinete de crise para monitorar as cidades afetadas pela forte chuva do fim de semana.

Saiba mais: Temporal causa alagamentos e deixa mortos no Rio de Janeiro

Entre os municípios mais atingidos Magé e Mesquita, na Baixada Fluminense, Rio Bonito, no interior do Estado, além da  zona oeste da capital. 

Desde o último sábado (29), cerca de 800 chamados já foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros e  pela Defesa Civil Estadual, entre salvamentos, cortes de árvores, buscas e resgates.

‘’Tanto a Defesa Civil quanto as demais secretarias estaduais estão de prontidão para atender às cidades e aos moradores das áreas atingidas. Já iniciamos os trabalhos e seguiremos durante os próximos dias para minimizar os estragos causados pelas enchentes’’, afirmou Wilson Witzel.

As aulas na rede estadual de ensino também foram suspensas hoje em 29 unidades devido aos estragos causados pelo temporal no Rio. A retomada das atividades dependerá da situação de cada escola, além da melhora das condições climáticas, segundo a Secretaria Estadual de Educação.

Governador discute medidas com órgãos do Estado

Governador discute medidas com órgãos do Estado

Divulgação/ Governo do RJ

Ações do Estado

As ações visam doação de insumos para moradores das regiões atingidas, prestação de serviços técnicos para solução de problemas dos imóveis, monitoramento das condições meteorológicas, caminhões para desobstruções de locais e caminhões-pipa para limpeza, além da remoção de barreiras no tráfego de vias.

Os órgãos envolvidos no trabalho de auxílios às cidades são SEASDH-Rj (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos), Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras), Cemaden (Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres), Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) e DER (Departamento de Estradas de Rodagens).

População pode ajudar com doações

Todos os quartéis do Corpo de Bombeiros no Estado recebem doações de água mineral, produtos de higiene e alimentos não perecíveis.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas