Rio de Janeiro RJ: ISP divulga relatório de atividades 2018

RJ: ISP divulga relatório de atividades 2018

Informações disponibilizadas pelo Fogo Cruzado, além da PM e do Disque Denúncia auxiliaram instituto a "identificar territórios" afetados pela violência

Relatório ISP Fogo Cruzado

Levantamentos do Isp buscam das apoio as forças de segurança pública

Levantamentos do Isp buscam das apoio as forças de segurança pública

Fernando Frazão/Agência Brasil - 08.06.2018

O ISP (Instituto de Segurança Pública) lançou o Relatório de Atividades de 2018, documento montado como forma de prestação de contas de todo o trabalho desenvolvido pela instituição no ano passado.

Grafites em homenagem a Marielle e Maria da Penha são refeitos no Rio

Entre as informações apontadas no relatório, o item “Principais atividades e projetos” traz detalhes sobre as estatísticas de violência divulgadas em 2018 . Sobre o índice de tiroteios, o relatório afirma que os estudos desenvolvidos pelo ISP foram feitos com dados do Fogo Cruzado, Disque-Denúncia e o serviço 190 da Polícia Militar.

A união dessas fontes, de acordo com o ISP, serviu para “melhor compreender o fenômeno – identificando, por exemplo, territórios afetados e organizações criminosas envolvidas no evento - e dimensionar os desafios de desenvolver uma metodologia para medição de incidência de tiroteios no estado”.

Leia também: Ministério descarta suspeita de peste bubônica no Rio

O ISP existe desde 1999 e é ligado à Seseg (Secretaria de Estado de Segurança). Em 2018, além dos dados levantados sobre tiroteios, o instituto desenvolveu e publicou estudos de diferentes temas, como a 13ª edição do Dossiê Mulher, a quarta edição do Dossiê Criança e Adolescente, e o inédito Dossiê LGBT+. Uma análise sobre apreensão de armas de fogo, simulacros, munição e artefato explosivo no Rio de Janeiro também foi publicado pelo ISP em 2018.

*Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa