Rio de Janeiro RJ: PMs que agrediram jovem em shopping são denunciados por racismo

RJ: PMs que agrediram jovem em shopping são denunciados por racismo

Vítima foi imobilizada e teve arma apontada para a cabeça ao tentar trocar relógio comprado para dar de presente no Dia dos Pais 

  • Rio de Janeiro | Irislayne Tavares, do R7*

Dois policiais militares foram denunciados à Justiça nesta quarta-feira (9) pelo MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) pela agressão contra um jovem dentro de um shopping na Ilha do Governador, na zona norte do Rio.

O caso aconteceu em agosto deste ano. O entregador de aplicativo Matheus Fernandes Bionde Correia foi vítima de discriminação e preconceito racial ao se dirigir a uma loja para trocar um relógio que daria de presente no Dia dos Pais, de acordo com as investigações.

A denúncia apontou que a dupla que fazia a segurança do shopping desconfiou que o rapaz negro teria furtado o objeto e abordou a vítima de forma truculenta.

Após ser forçado a sair do estabelecimento, Matheus foi levado para uma escada, onde foi imobilizado e teve uma arma apontada na direção da cabeça.

A promotoria pediu à Justiça que os policiais militares respondam pelo crime de racismo, que prevê pena de reclusão de um a três anos.

Imagens mostram jovem imobilizado pelos PMs

Imagens mostram jovem imobilizado pelos PMs

Reprodução/Record TV Rio

Leia mais: PM descobre venda de drogas em barbearia na Baixada Fluminense

De acordo com o MP-RJ, os denunciados alegaram que haviam encerrado o expediente quando viram a vítima com um boné que fazia menção a um dos antigos líderes do tráfico de drogas de um morro da região.

Além disso, eles disseram que teriam notado um volume na cintura de Matheus, que parecia ser uma arma de fogo. 

Os investigados negaram que estivessem armados e que agrediram a vítima, acrescentando terem sido xingados por ela. No entanto, a promotoria declarou que a versão foi desmentida por filmagens e testemunhas.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas