Rio de Janeiro TJ-RJ processa juiz por apropriação indevida de obra de arte em Búzios

TJ-RJ processa juiz por apropriação indevida de obra de arte em Búzios

 João Carlos de Souza Correa, que atuou entre 2004 e 2012 na Região dos Lagos, teria levado uma estátua do fórum após ser removido do posto

Juiz não será  afastado das funções durante o processo

Juiz não será afastado das funções durante o processo

Reprodução/Record TV Rio

O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio) abriu um processo administrativo, nesta segunda-feira (13), contra o juiz João Carlos de Souza Correa, por se apropriar indevidamente de uma obra de arte que pertencia ao fórum de Búzios, na Região dos Lagos do Rio. 

O juiz atuou entre os anos de 2004 a 2012 no município. Ao  ser removido do posto, teria levado uma estátua de Dom Quixote.

Leia também: Sérgio Cabral entrega três ministros do TCU em delação premiada

Segundo o TJ-RJ, João Carlos de Souza Correa, que atualmente é integrante do Comitê Gestor Regional de Política de Atenção Prioritária, não será afastado das funções durante o processo administrativo. 

A defesa do magistrado foi procurada pelo R7, mas não obtivemos retorno até a publicação desta matéria. Espaço está aberto para manifestação. 

Polêmica

Em 2011, quando atuava em Búzios, o juiz foi alvo de uma ação por abuso de autoridade após ser parado em uma blitz da Lei Seca.

Na ocasião, João, que estava sem carteira de habilitação, placa de carro e documentos, deu voz de prisão para uma agente de trânsito.

Após três anos, João foi absolvido, já a agente de trânsito pagou indenização ao magistrado.

Últimas