Rio de Janeiro Três dos envolvidos em confusão no Leblon fazem acordo judicial

Três dos envolvidos em confusão no Leblon fazem acordo judicial

Eles aceitaram pagar R$ 3 mil em gêneros alimentícios ou medicamentos para instituição para encerrar processo

Três dos cinco envolvidos no episódio que ficou conhecido como barraco do Leblon, em setembro de 2020, fizeram um acordo com a Justiça para encerrar a ação penal em audiência  nesta quarta-feira (4).

Vídeo viralizou nas redes sociais

Vídeo viralizou nas redes sociais

Reprodução / Record TV Rio

De acordo com o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), a empresária Scheila Danielle Gmack Santiago e a arquiteta Aline Cristina Araújo Silva, além do empresário Maurício Barros Pitanga, concordaram em pagar, em 30 dias, a quantia de R$ 3 mil em gêneros alimentícios ou medicamentos em instituição escolhida pela equipe técnica da Central de Penas e Medidas Alternativas para finalizar o processo.

O episódio ocorreu em setembro do ano passado, em meio à pandemia, quando duas mulheres passavam em um carro conversível pela rua Dias Ferreira, no Leblon, na zona sul, e tiveram o veículo atingido por uma garrafa de água arremessada por outra pessoa.

Um vídeo que registrou a confusão viralizou nas redes sociais, levando a empresária Scheila Danielle Gmack Santiago, que estava no carro, a acusar a arquiteta Aline Cristina Araújo Silva, autora da filmagem, e o empresário Maurício Barros Pitanga, que a acompanhava, por difamação, injúria e vias de fato.

A ação também envolve o dono do veículo e uma amiga de Scheila. A assessoria do TJ-RJ informou que os dois envolvidos na confusão, que já tinham pedido o declínio de competência do Jecrim (Juizado Especial Criminal) para uma Vara Criminal comum, não aceitaram o acordo. Com isso, a ação deve prosseguir para eles por ato obsceno e violação de medida sanitária, já que estavam sem máscaras.

Últimas