Rio de Janeiro Três helicópteros são atingidos pelo fogo que destruiu galpão no aeroporto do Galeão, no Rio

Três helicópteros são atingidos pelo fogo que destruiu galpão no aeroporto do Galeão, no Rio

O porta-voz do Corpo de Bombeiros informou que o fogo foi controlado, mas 96 militares seguem trabalhando no local

Helicóptero foi destruído durante incêndio em galpão no aeroporto do Galeão

Helicóptero foi destruído durante incêndio em galpão no aeroporto do Galeão

Corpo de Bombeiros

A estrutura do galpão destruída por um incêndio no terminal de cargas do Aeroporto Internacional do Galeão, na Ilha do Governador, zona norte do Rio, nesta quarta-feira (18), foi comprometida, e o colapso é iminente, segundo informações do porta-voz do Corpo de Bombeiros.

O major Fábio Contreiras disse, em entrevista à Record TV, que cargas diversas foram atingidas pelas chamas, incluindo três helicópteros.

"Dentro do galpão, havia páletes, muitas caixas de madeira, que aparentemente tinham cargas dentro, ainda não reconhecidas. Havia muitas empilhadeiras, cilindros de gás que as alimentavam. E três aeronaves que nós encontramos ali foram atingidas pelo fogo e também pelo colapso de algumas paredes internas. Houve queda de paredes e grades que separavam o galpão", explicou.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros acrescentou que o fogo foi controlado, mas que 96 militares de ao menos 13 unidades ainda trabalham no local. "É importante o trabalho minucioso para que nenhum bombeiro fique ferido e consiga entrar para fazer o rescaldo, que provavelmente vai levar a noite e a madrugada."

Brigadistas não acionaram bombeiros

Fumaça densa do incêndio chamou atenção em diversos pontos da Ilha do Governador

Fumaça densa do incêndio chamou atenção em diversos pontos da Ilha do Governador

JOSE LUCENA/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO/18.01.2023

Apesar de a concessionária RioGaleão ter afirmado que os brigadistas trabalham em conjunto com os bombeiros, a corporação disse que foi avisada sobre a ocorrência pela imprensa e, em seguida, mobilizou as equipes.

Segundo relatos a que o Corpo de Bombeiros teve acesso, a Brigada de Incêndio do Galeão tentou combater as chamas sem o apoio da corporação, o que permitiu que o fogo se alastrasse.

"O Corpo de Bombeiros soube do incêndio graças à busca ativa nas diversas mídias e com isso conseguiu chegar a tempo de isolar as chamas no local onde se iniciaram, afastando o risco de propagação para a área da Base Aérea", informou por meio de nota. 

Investigação

A investigação das causas do incêndio deve ficar sob a responsabilidade da Polícia Civil, por ter ocorrido em uma área externa do aeroporto, de acordo com informações da Polícia Federal. No entanto, a instituição informou que está acompanhando o caso e as consequências dele.

Não houve feridos no acidente. 

Fumaça vista de diversos pontos


Mais cedo, a fumaça densa provocada pelo fogo que consumiu o galpão chamou a atenção da população em diversos pontos da Ilha do Governador.

Inclusive, o Centro de Operações da Prefeitura do Rio alertou os motoristas sobre a fumaça que chegava à linha Vermelha, que fica próximo ao aeroporto.

Últimas