Rio de Janeiro TRF determina que Picciani e outros dois voltem para a prisão

TRF determina que Picciani e outros dois voltem para a prisão

Decisão de desembargadores foi unânime

TRF determina que Picciani e outros dois voltem para a prisão

Picciani se entregou na PF antes de votação na Alerj

Picciani se entregou na PF antes de votação na Alerj

Daniel Castelo Branco/16.11.2017/Agência O Dia

O TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) determinou, em sessão extraordinária na tarde desta terça-feira (21), a volta dos deputados estaduais Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, para a prisão. Além do relator, os outros quatro desembargadores que participaram da sessão votaram a favor das prisões, que foi determinada por unanimidade. 

Na quinta-feira (16), a Justiça Federal já havia determinado a prisão dos deputados, que se entregaram na PF (Polícia Federal). Porém, no dia seguinte, os três investigados na operação Cadeia Velha foram soltos após decisão da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Durante a sessão, o relator Abel Gomes afirmou que só tem direito de mandar soltar quem prende, e que essa decisão não caberia à Alerj.  Ele pediu novamente a prisão preventiva dos três deputados e criticou o impedimento da entrada do oficial de Justiça na Casa, na última sexta-feira (17).

Já o desembargador Messod Azulay disse que houve descumprimento da decisão anterior do TRF, e que o legislativo perdeu a chance de "apagar uma página negra da Alerj". Também votaram os desembargadores Paulo Espírito Santo, Simone Schreiber e Marcelo Granado.

Os deputados são acusados pelo Ministério Público Federal do RJ e pela Polícia Federal pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O Estado, que vive uma grave crise fiscal, teria deixado de receber R$ 183 bilhões em decorrência de benefícios fiscais em favor de empresas envolvidas no esquema de corrupção existente desde os anos 90, segundo o MPF-RJ.

Picciani e Albertassi, divulgaram nota, no domingo (19), anunciando que vão se afastar das atividades parlamentares, a partir de hoje (21) e até o final do recesso parlamentar, para se dedicarem na preparação da defesa para as acusações do MPF-RJ. Nesta manhã a assessoria de Paulo Melo também confirmou que o deputado ficará licenciado até o fim do recesso em janeiro.

O filho do deputado Picciani, Felipe Picciani, está preso desde o dia 14.

Assista à série O Rio de Janeiro na Lama, do Jornal da Record: