Rio de Janeiro Vereador preso por chefiar milícia cobrava honestidade nas redes

Vereador preso por chefiar milícia cobrava honestidade nas redes

Segundo MP-RJ, Davi Brasil (Avante) lidera grupo paramilitar que atua em condomínios do projeto “Minha Casa, Minha Vida” em Queimados

Vereador pediu reflexão sobre conduta do cidadão

Vereador pediu reflexão sobre conduta do cidadão

Reprodução / Facebook

O vereador de Queimados Davi Brasil (Avante), preso nesta quinta-feira (18) em uma operação contra a milícia, é um usuário assíduo das redes sociais. O parlamentar costuma expor ideias e posicionamentos sobre diversos temas, entre eles sobre a corrupção e a violência, em um perfil na internet.

Veja mais: PF faz operação contra venda ilegal de cigarros em Niterói

Cabo reformado da Polícia Militar, Davi foi preso em uma ação do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) suspeito de liderar um grupo paramilitar que atua em condomínios do projeto “Minha Casa, Minha Vida” no município da Baixada Fluminense.

Apesar das investigações ligarem o vereador a uma organização criminosa, Davi manifestou nas redes sociais, há cerca de seis meses, o sonho de um “Brasil livre das falcatruas e atrocidades que os maus políticos fazem com o nosso povo”.

Em postagem, Davi escreveu sobre honestidade

Em postagem, Davi escreveu sobre honestidade

Facebook

De acordo com a investigação, a função do parlamentar na quadrilha era a de expandir a distribuição do sinal ilegal de TV a cabo. Outras 33 pessoas também tiveram mandado de prisão expedidos por envolvimento com o grupo, inclusive nove já estão presas.

Veja mais: Justiça prorroga por 30 dias prisão preventiva de filhos de Flordelis

Em outra postagem, ele publicou a seguinte frase: "Se eu não der exemplo de honestidade sendo político, não posso exigir nada do cidadão".

R7 não localizou a defesa do vereador. O espaço está aberto para a manifestação. 

Assista ao vídeo:

Últimas