Morte de Marielle Franco

Rio de Janeiro Vigília em homenagem à vereadora reúne centenas de pessoas no RJ

Vigília em homenagem à vereadora reúne centenas de pessoas no RJ

Marielle Franco foi assassinada a tiros na noite de quarta-feira (14) no centro do Rio de Janeiro

  • Rio de Janeiro | PH Rosa, do R7

Marielle foi morta a tiros no centro do Rio de Janeiro

Marielle foi morta a tiros no centro do Rio de Janeiro

Wilton Junior/ Estadão Conteúdo - 15.03.2018

Uma vigília reuniu centenas de pessoas em frente a Câmara Municipal do Rio de Janeiro, no centro do Rio, em homenagem a vereadora Marielle Franco, morta na noite de quarta-feira (14), junto com Anderson Gomes, seu motorista. Movimentos sociais e partidos políticos participaram do ato na praça Floriano.

O ato provocou comoção entre os participantes, que lembraram a todo momento a representação de Marielle, conhecida por defender os direitos das mulheres, da população negra e das comunidades.

Para a contadora Eliane Cordeiro, que acompanhou a vigília, a morte da vereadora representa uma injustiça.

— É uma perda muito grande pra nós mulheres negras. É uma injustiça, uma mulher que batalhou tanto, que veio em prol das classes baixas, das pessoas da comunidade que sofrem na pele todos os dias essa violência que não termina. Esse genocídio de homens e mulheres negras. Tem que acabar, e ela era a voz perenre a sociedade. Ela como mulher negra fazia esse papel.

A estudante Júlia de Oliveira, de 19 anos, considerou os assassinatos um crime político e também um ato de "genocídio negro".

— Foi muito doloroso, além de ser um ato de genocídio negro, ela também é uma figura política, então também é um crime político. É como se fosse a democracia sendo mutilada.

A estudante de serviço social Letícia Vilas Boas também destacou a perda que a morte de Marielle significa para os movimentos sociais.

— Dá pra perceber pela quantidade de gente que tá aqui participando disso que é como se fosse um parente nosso. Ela lutava pelos direitos, pelas desigualdades. Botava a cara a tapa. Vai ser indispensável, ninguém vai substituir ela. Temos muitas mulheres aqui, temos força, temos garra, mas ela deu acara a tapa é isso é marcante.

Últimas