São Paulo Antes da prisão, Cupertino era o criminoso mais procurado em SP

Antes da prisão, Cupertino era o criminoso mais procurado em SP

Acusado de matar o ator Rafael Miguel e família estava foragido desde 2019, quando a chacina ocorreu na zona sul de São Paulo

  • São Paulo | Do R7

Cupertino alegou inocência ao ser preso em São Paulo

Cupertino alegou inocência ao ser preso em São Paulo

Divulgação/Polícia Civil de São Paulo

Antes de ser preso na tarde desta segunda-feira (16), Paulo Cupertino, acusado pela morte do ator Rafael Miguel, era considerado pela Polícia Civil de São Paulo o criminoso mais perigoso no estado. Ele ficou foragido por quase quase três anos desde que foi indiciado pela polícia por matar o ator junto à mãe e ao pai na zona sul da capital. 

O último paradeiro do homem do qual se tinha notícia havia sido a a cidade de Yataity del Norte, no Paraguai, em dezembro de 2020, quando foi reconhecido em uma fazenda de soja. Cupertino foi detido no Jardim Miriam, zona sul de São Paulo (SP), no 98º DP, e foi encaminhado ao Palácio da Polícia, na região central da capital paulista.

O crime ocorreu no dia 9 de junho de 2019. Rafael foi com seus pais, João Aloizio Miguel, de 52 anos, e Mirian Selma Silva Miguel, de 50 anos, até a casa de Cupertino para oficializar seu namoro com Isabela Tibcherani, filha de Paulo. Mas, ao chegar no local, foi recebido com disparos. O ator morreu no local e seus pais momentos depois

Segundo a polícia, Cupertino fugiu e pediu ajuda a conhecidos. Acredita-se que a primeira pessoa com quem ele falou foi Eduardo José Machado, conhecido como Eduardo da Pizzaria. Após receber o pedido de ajuda, ele acionou uma segunda pessoa do interior de São Paulo Vanderlei Antunes Ribeiro Senhora teria sido a pessoa que encontrou Cupertino na rodoviária e o levou para casa.

O acusado então teria comprado uma passagem de ônibus de Campinas (SP) para Ponta Porã, no Mato Grosso, já perto da divisa com o Paraguai. Ele então passou pela cidade de Yataity del Norte, no Paraguai, em dezembro de 2020, quando ele foi reconhecido em uma fazenda de soja.

No período em que permaneceu na fazenda, Cupertino trabalhou no cultivo de soja e milho. Segundo relatos de funcionários, ele falava pouco e se mantinha sempre muito distante dos agricultores brasileiros.

Depois da saída da fazenda, uma câmera mostrou o momento em que ele estaria fugindo novamente, com o registro do dia 25 de novembro de 2020. Desta vez, tentava ir para uma cidade perto da fronteira da Bolívia.

Depois da temporada no Paraguai, ele foi para a cidade de Eldorado, em Mato Grosso do Sul, onde havia se escondido num sítio. Cupertino frequentava uma barbearia no local para manter o disfarce.

Ao ser preso, ele negou o crime e disse que continuou foragido depois das mortes por medo de ser alvo de justiçamento.

Caso Cupertino: relembre a investigação do crime até a prisão do assassino

Últimas