São Paulo 'Estou louca para gritar e chorar', diz ex-namorada de Rafael Miguel

'Estou louca para gritar e chorar', diz ex-namorada de Rafael Miguel

Isabela Tibcherani disse estar sobrecarregada com a notícia da prisão de Paulo Cupertino, seu pai, acusado da morte do ator

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Isabela Tibcherani, ex-namorada do ator Rafael Miguel, disse estar sobrecarregada com a notícia da prisão de Paulo Cupertino, seu pai, que é apontado pela Polícia Civil como o responsável pelo assassinato do ator, que ocorreu em junho de 2019. Ela foi entrevistada na tarde desta segunda-feira (16) pelo Cidade Alerta, da Record TV, pouco depois de saber da notícia da prisão. 

"Ninguém sabe o que eu tenho passado esses dois últimos anos tentando me reerguer, me desvincular de tudo. E agora eu estou em um momento importante no qual não posso deixar as coisas me abalarem, então estou tentando levar da maneira mais tranquila possível, embora dentro de mim eu estou louca para gritar e cair no choro, eu estou mantendo a pose. Eu só posso dizer que eu não sei o que dizer", afirmou. 

Em entrevista ao R7 dois anos depois da morte do namorado, Isabella contou detalhes da relação com Paulo Cupertino. Ela afirmou que, desde antes do crime, já via o pai como estranho, que ele era agressivo e havia proibido a relação dos jovens. 

No dia 9 de junho de 2019, Rafael Miguel foi acompanhado do pai e da mãe, João Aloizio Miguel, de 52 anos, e Mirian Selma Silva Miguel, de 50 anos, à residência de Paulo Cupertino para oficializar o namoro. Na tarde daquele dia, segundo a polícia, eles teriam discutido com o comerciante, que matou os três a tiros. Isabela disse que presenciou a discussão, mas que foi colocada à força dentro da residência por seu pai antes do ataque.  

Segundo a polícia, Cupertino fugiu e pediu ajuda a conhecidos. Acredita-se que a primeira pessoa com quem ele falou tenha sido Eduardo José Machado, conhecido como Eduardo da Pizzaria. Após receber o pedido de ajuda, ele acionou uma segunda pessoa, do interior de São Paulo. Vanderlei Antunes Ribeiro Senhora teria sido a pessoa que encontrou Cupertino na rodoviária e o levou para casa.

O acusado então teria comprado uma passagem de ônibus de Campinas (SP) para Ponta Porã, em Mato Grosso, já perto da divisa com o Paraguai. Ele então passou pela cidade de Yataity del Norte, no Paraguai, em dezembro de 2020, quando ele foi reconhecido em uma fazenda de soja.

No período em que permaneceu na fazenda, Cupertino trabalhou no cultivo de soja e milho. Segundo relatos de funcionários, ele falava pouco e se mantinha sempre muito distante dos agricultores brasileiros.

Depois da saída da fazenda, uma câmera mostrou o momento em que ele estaria fugindo novamente, com o registro do dia 25 de novembro de 2020. Desta vez, tentava ir para uma cidade perto da fronteira da Bolívia.

Depois da temporada no Paraguai, ele foi para a cidade de Eldorado, em Mato Grosso do Sul, onde havia se escondido num sítio. Cupertino frequentava uma barbearia no local para manter o disfarce.

Ao ser preso, Cupertino negou o crime e disse que continuou foragido depois das mortes por medo de ser alvo de justiçamento.  

Isabela presenciou morte do namorado e dos pais dele

Isabela presenciou morte do namorado e dos pais dele

Arquivo Pessoal

Saga até prisão de Cupertino teve apelo da mãe e possíveis disfarces. Veja fotos

Últimas